20.3.12

Orlando Antunes, Roberto de Jesus e Rubens Neves analisam chances de título do Mixto


Cronistas avaliam chances do Mixto
Último título Mato-grossense (1ª divisão) do Alvinegro foi em 2008
Três importantes nomes da crônica esportiva de Cuiabá ouvidos pelo Craques do Rádio analisaram a situação e as chances do Mixto em relação ao título do Campeonato Mato-grossense. Para Orlando Antunes e Roberto de Jesus César, o Alvinegro “depende muito mais da força da tradição e da garra do time”, que eles consideram “fraco”. Rubens Neves é mais otimista e vê o Mixto “inferior apenas ao Cuiabá”. Os três acham que o time “já está na semifinal”.

Com 25 pontos ganhos, o Mixto é o segundo colocado e ainda jogará mais quatro vezes na primeira fase: recebe o Luverdense domingo no Dutra; enfrenta o Atlético dia 31 em Campo Verde; vai até Barra do Garças no dia 8 de abril; e encerra sua participação no clássico contra o Cuiabá, dia 11.

Classifica sem problemas e o título pode até acontecer, mas o time é fraco. Tem problemas na lateral-esquerda e no meio campo, onde falta criatividade. O Hilton Mineiro precisa melhorar muito para ser um jogador útil”, diz Roberto de Jesus Cézar, o Careca, comentarista da Rádio CBN Cuiabá. E acrescenta:

"O Paulinho Marília é um bom centroavante, mas a bola precisa chegar com qualidade. Ele joga parado, tem que ser alimentado".

Careca, que vê o Cuiabá como “o favorito disparado”, entende que apenas “a força da camisa, da tradição, de um time que cresce na hora de decidir, pode levar o Mixto ao título. Isso realmente pode fazer a diferença, mais na pressão também da sua torcida do que na bola”. Para ele, o Alvinegro aparece como apenas “terceira força” do momento:

"O melhor e favorito é o Cuiabá, depois vem o Luverdense e aí o Mixto".

Para Orlando Antunes, do site Futebol Press, o Mixto não é nem o terceiro nesta escala. “Cuiabá, Luverdense e Vila Aurora, pela ordem, estão melhores”, afirma o ex-árbitro e comentarista, avaliando que “o maior problema do Mixto está na falta de criação no meio-campo. Contrataram ‘55’ armandinhos, estilo enceradeira. Não tem um meia que decide e o Hilton Mineiro, que eu conheço muito bem, não é esse jogador. Além disso o Mixto não tem lateral-esquerdo, pois o Alemão é volante e foi inventado ali pelo técnico Eduardo Henrique”.

Considerando que Edson Di “foi uma boa contratação”, Orlando engrossa o coro liderado por Careca que diz que “o título pode até vir, é claro, mas muito mais na raça, na vontade e na tradição do que pela qualidade da equipe”.

"Além disso, no mata-mata as coisas mudam muito. Uma série de fatores fazem a diferença e tornam tudo possível" completa.

Rubens Neves, narrador e analista da Rádio CBN Cuiabá, tem opinião diferente. Ele considera que “o time do mixto não é ruim, é até um bom time para os nossos padrões. Está apenas faltando acertar ‘alguma coisa’, alguns detalhes. Talvez com a entrada do Hilton Mineiro esse algo que falta pode aparecer, acho que dá mais qualidade no setor de criação”.

O experiente radialista também cita o retorno do atacante Tiago Furlan como um ponto positivo a mais para o Tigre:

"Com o retorno do Furlan, entendo que o Mixto deve jogar com três atacantes. Com Furlan, Marília e Edson Di terá um ataque poderoso, veloz e forte".

Também para Rubens Neves, fatores como “camisa, mística e torcida” podem fazer diferença em favor do Alvinegro, que vê apenas o Cuiabá com uma equipe superior. “Depois do Cuiabá o melhor time é o do Mixto, acima de Luverdense, Vila Aurora e União, nesta ordem”, finalizou.

Fonte: Craques do Rádio
20/03/2012 

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!