12.6.12

Atento ao critério de desempate, diretor do Mixto Master lamenta não ter feito mais gols


Mixto ‘lamenta’ chances perdidas. Sensação no Alvinegro é a de que poderia ter feito mais gols no União
Zagueiro Gera, autor de um dos três gols diante do União, sai jogando após ganhar a bola de Índio.
(Foto: Marcus Vaillant/A Gazeta)
A um empate de sua classificação à final da 19ª Copa Gazeta de Futebol Master - Troféu radialista Jota Barreto -, o Mixto fechou a segunda rodada da primeira fase com a sensação de que poderia ter feito mais gols no União de Rondonópolis, lanterna do torneio sem pontuar até agora. A vitória de 3 a 1 com gols de Abílio, Gera e Cesinha, o Alvinegro da Vargas assumiu a vice-liderança com quatro pontos ganhos e um saldo de dois gols positivos.

Para o diretor da equipe Gilmar Ferreira, o seu time teve chances claras de ampliar ainda mais o placar, o que daria um certa folga numa eventual disputa pela segunda e última vaga à decisão com o rival Dom Bosco no quesito saldo de gols - o Azulão da Colina tem um saldo de menos um gol negativo.

Acho que cabia mais gols no União. Tínhamos que ter feito mais caso haja igualdade em pontos ganhos e o critério de desempate é saldo de gols. Agora, vamos esperar a última rodada para ver o que vai dar. Mas a nossa classificação só depende de nós mesmos”, assinalou Ferreira, que acena para a possibilidade de contratar mais dois reforços para o clássico decisivo diante do arquirival Operário, primeiro finalista da competição com 100% de aproveitamento - dois jogos e duas vitórias.

Com um time formado basicamente por jogadores de Cuiabá, o Alvinegro da Vargas ainda três fichas em abertas para esta reta final da Copa Gazeta. Das três, uma delas é para inscrever um jogador na faixa etária de 38 anos e duas para 40. A primeira estava destinada para o atacante Aílton, ex-Guarani e Vasco da Gama. Mas o jogador se encontra na Europa, comentando jogos da Eurocopa de Seleções por uma emissora de rádio da Alemanha, país onde atuou por muitos anos.

Como Aílton está totalmente descartado, a diretoria mixtense está sondando o atacante Luís Mário, hoje com 38 anos. O jogador atuou no Corinthians e no
Grêmio de Porto Alegre na década de 90. Outra carência detectada nos dois primeiros compromissos é à ausência de meia que arme e cadencie o jogo. “Estamos precisando de um meia que chame a responsabilidade do jogo, que seja líder dentro de campo”, enfatiza Gilmar Ferreira.

Fonte: Luiz Esmael/Jornal A Gazeta
12/06/2012

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!