1.7.12

Goleiro Perereca e técnico Celso Teixeira falam sobre o desentendimento entre os dois


"Eu tinha ele como um amigo. Hoje eu tenho ele como um colega de profissão", diz capitão do Mixto sobre técnico 
Foto: Gilmar Ramos/Mixtonet
Com os melhores jogadores do Mato-grossense de Futebol mantidos, 15 novos reforços e um novo treinador deram a sensação de que a estreia do Mixto na Série D do Brasileirão seria fantástica. E foi, mas até os 10 minutos do primeiro tempo contra o Sampaio Corrêa. Na partida, o Mixto brilhou quando Furlan marcou um gol olímpico. Uma glória. Mas foi só.

Daí por diante, o alvinegro errou muito e cedeu o placar para o Sampaio que ao final dos 90 minutos venceu o alvinegro por um placar de 3 a 1. A história que começou fantástica naufragou quando o capitão do clube, o goleiro Perereca, se desentendeu com o técnico Celso Teixeira.

Teixeira chegou a entregar o cargo, mas acabou convencido pela diretoria e jogadores a permanecer. Já Perereca, foi afastado dos treinos com o grupo e, por enquanto, treina em separado. Ambos foram multados pela diretoria do Mixto.

Nesta semana, Perereca e Celso Teixeira deram suas versões do que realmente aconteceu. Perereca disse que o desentendimento começou quando ele teria pedido ao técnico para Julian cobrar uma falta em vez de Furlan.

"Quando eu fui falar com o Celso, tinha um grupo de torcedores xingando o Celso ali. Acho que uns dois ou três torcedores falaram: Isso aí Perereca. Dá dura no Celso. Só que o Celso ouviu o que eu falei pra ele. Nesse momento, ele começou a me ofender com palavras de 'baixo calão' me chamando de sem vergonha e mal caráter" afirmou o goleiro.

Para o técnico, o fato não passou de um mal-entendido.

"Não houve confusão. Estão fazendo tempestade em copo d'água. A reclamação foi com os jogadores de defesa e não de ataque. No momento ele não deveria ter feito aquilo. Ele esteve no hotel, ele sabe disso" afirmou Teixeira.

Perereca ainda disse que foi ofendido pelo treinador e, por pouco, os dois não brigaram no vestiário do Eurico Gaspar Dutra. Já Celso Teixeira enfatizou que o goleiro é um 'comandado' e que teria que ter tido uma outra postura diante da situação. Perereca ressaltou que de amigo, Teixeira se transformou apenas em um colega de trabalho.

"Em 16 anos nunca ter o registro em toda minha história. Logo um cara que eu trabalhei quatro vezes e que indiquei para o Mixto. Saí de dois clubes porque ele foi mandado embora e eu saí com ele porque ele tinha me levado. Qual motivo eu tinha que ter ofendido ele? Eu tinha ele como um amigo. Hoje eu tenho ele como um colega de profissão" finalizou Perereca.

O Mixto volta a campo no próximo final de semana contra o Comercial-PI, na casa do adversário.

Fonte: Globoesporte MT
30/06/2012

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!