4.9.12

Técnico Everton Goiano fala da expectativa para o jogo em Belém, confira a ENTREVISTA


O repórter Dioniso Dinarte da Rádio CBN Cuiabá entrevistou o técnico Everton Goiano, confira:
Foto: Pedro Lima/Olhar Esportivo)
Agora mais tranquilo, vamos fazer uma avaliação do que foi a apresentação do Mixto contra o Remo nesse primeiro tempo de dois tempos.

Eu acredito que foi boa, porque no meu modo de ver a equipe deles é muito forte e nós tivemos inteligência para suportar os momentos mais críticos da partida. É lógico que não tomamos o gol, mas a equipe não se desesperou e isso que é importante. Tem que ter essa conscientização de que os jogos serão difíceis e a gente tem que sair em velocidade, mesmo jogando em casa, tem que buscar se defender bem, contactar bem para poder superar os momentos mais difíceis.

Dois pontos positivos: Um foi o treino incansável durante a semana com questão a bola aérea. Segundo, devido aos vários treinos o time acabou não tomando os gols o que foi mais importante.

Não tomou mais temos que melhorar, vamos trabalhar mais. A equipe deles está ganhando praticamente todas as bolas aéreas, então a gente tem que trabalhar nesse sentido. Apesar de que na ofensiva o gol nosso foi de cabeça, mas o jogador deles estava marcando a bola e o Nonato fez o gol.

Temos que corrigir, temos que melhorar muito ainda e procurar armar essa equipe. Uma equipe que tem que sair daqui pensando em buscar os três pontos, porque sabe que quem sai para empatar ou buscar resultado acomodado acaba se perdendo. Temos que sair daqui para jogar o jogo mais uma vez com inteligência, a equipe tem que estar bem fechada, saber se defender mas com a posse de bola a gente tem uma exigência e vamos conversar com os jogadores para que busquem o caminho do gol.

Diante disso, você pensa em mudar a equipe ou manter a equipe que venceu?

Vamos mudar, mas em termos de posicionamento. A gente pretende em mexer o mínimo possível. Mesmo porque a equipe está pegando padrão de jogo agora, então tem que procurar mexer o mínimo possível. Agora, a gente não sabe quem vai jogar, porque daqui até sexta-feira muita coisa acontece ou até o momento antes da partida. Mas a gente vai mudar taticamente, o posicionamento da equipe deve mudar alguma coisa e a gente conhece bem a equipe adversária. Sabemos a qualidade, mas sabemos também onde que a gente pode conseguir uma infiltração, conseguir jogadas mais fortes. A gente vai trabalhar nesse sentido, de sair rápido em velocidade para tentar surpreender o Remo lá.

Valeu a pena esse amigo que você tinha lá (em Belém), esse informante que te deu as dicas da equipe do Remo. Valeu a pena?

Sim, trocas de informações. A gente conhece individualmente, temos acompanhado algumas pessoas falarem que a equipe do Remo é fraca, mas a equipe do Remo é muito forte. Conheço a maioria dos jogadores que estão lá, jogadores que eu tentei levar em várias oportunidades, mas não conseguimos contratar, o caso do Dida, são jogadores que trabalharam em equipes grandes e tem um bom poderio técnico. Tem muita opção, o Remo tem o luxo de tirar o Fábio Oliveira e colocar o Mendes, deixar o Ratinho no banco e colocar outro, o Chiquita não jogou aqui e entrou com o menino que foi a revelação do campeonato. Enfim, o Remo tem um leque de opções muito grande, tem três goleiros bons também.

A gente sabe do poderio técnico da equipe e temos se apegado a esses detalhes. Continua lá essas pessoas, de confiança, que quando estão disputando campeonato brasileiro ou outras competições a gente olha para eles, um jogo em Goiás ou em algum estado. Eles nos passam essas informações e eu acredito que é de grande validade.

Está tranquilo com relação a essa segunda partida?

Tem que ter confiança no nosso trabalho, no grupo de jogadores e principalmente na diretoria. O que o seu Hélio junto com a diretoria está se desdobrando para tentar dar uma condição boa para esse grupo conseguir trabalhar é algo fora do normal. Eu honestamente não tenho coragem de fazer o que o seu Hélio faz, ele assumir a presidência do Mixto e vocês que têm vindo no dia-dia sabe o que ele tem passado. O importante é que Deus tem dirigido, tem guiado, então é um motivo a mais para a gente aplicar.

Medo não, a gente tem respeito. Sabemos do poderio técnico da equipe que é muito forte, sabemos que não tem nada definido e sabemos que se a gente não suar sangue lá no domingo vai ser fatal para que a gente não consiga essa classificação. Então vamos trabalhar nesse sentido, primeiro a ordem tática e técnica, procurar acertar esse posicionamento, errar o mínimo possível durante a semana. Tem um tempo para trabalhar, ver se pode contar com a maioria dos jogadores em todos os trabalhos para que eles possam estar bem no domingo e ter uma concentração total para não decepcionar a nossa torcida.

Fonte: Transcrição do áudio da Rádio CBN Cuiabá
04/09/2012

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!