23.10.12

CONTRATOS VENCERAM E LEY, PAULO ALMEIDA E NONATO PODEM ESTAR DE SAÍDA


Jogadores ainda aguardam salário. Nonato, Paulo Almeida e Ley exigem pagamento de salários atrasados para renovar contrato

Paulo Almeida, capitão do Mixto
O presidente do Mixto, Hélio Machado, corre contra o tempo para arranjar dinheiro para quitar pelo menos a folha do mês de agosto. O dirigente está num dilema para manter seus principais jogadores visando a fase semifinal da Copa Mato Grosso, a qual terá o Rondonópolis Esporte Clube (REC) como adversário na briga por uma vaga à final da competição.

Atletas do nível do volante Paulo Almeida, do lateral direito Ley e doatacante Nonato (artilheiro do Alvinegro da Vargas no Campeonato Brasileiro da Série D deste ano com oito gols) estão com contratos para vencer no dia de hoje. Para continuarem no clube e ajudar a conquistar o título inédito e consequente
vaga à Copa do Brasil do próximo ano, os três exigem que a diretoria quite pelo menos um dos três meses de salários atrasados. O prazo expira na noite de hoje.



Lateral Ley, um dos principais jogadores do Mixto
Caso não recebam, os jogadores prometem arrumar as malas e seguir viagem para seus estados. Dos três com contratos para vencer, Paulo Almeida é o que ainda sinaliza para dar mais um tempo ao presidente do clube solucionar o problema de salários em atraso. Campeão brasileiro pelo Santos em 2002, o volante está com a sua família em Cuiabá, inclusive com os filhos estudando e uma saída neste momento está descartada por conta do ano letivo ainda estar em andamento.

Mas Nonato e Ley, ambos fizeram uma boa Série D, resistem à ideia de prorrogar o contrato por mais um mês sem a garantia de receber os atrasados.

Diretoria garante que paga mas não sabe quando

Ciente e compreensivo com às exigências feitas pelos atletas, Hélio Machado é direto e realista quanto à atual situação financeira do clube. “A situação é bastante delicada, pois nesse momento o Mixto não pode oferecer nada aos jogadores. Sabemos que a reivindicação é mais do que justa, mas não temos dinheiro para mais nada, infelizmente”, lamenta o dirigente, destacando a sua incansável luta em quitar as três folhas em atraso.



Nonato, artilheiro que caiu nas graças da torcida
Segundo o dirigente, independente de qualquer coisa, o clube irá pagar todos os atrasados. “Ninguém aqui no Mixto ficará sem receber. O jogador pode ir até embora, mas assim que recebermos o que temos para receber, depositaremos na conta de cada profissional. É mais do que justo o que pessoal está reivindicando”, afirmou Machado, ressaltando que o objetivo é levar o Mixto ao título da Copa Mato Grosso, conquista que o clube ainda não tem em sua longa história.

Quem não tem gostado nada desta situação de indefinição e a falta de verba é o técnico Éverton Goiano. Ele nunca escondeu sua admiração pelo futebol de Paulo Almeida, Nonato e Ley. Todos eles foram indicação de Goiano quando de sua chegada no Mixto em substituição a Celso Teixeira no início do Cameponato Brasileiro da Quarta Divisão. Inclusive, os três atletas são titulares absolutos na escalação dos cinco jogadores acima dos 23 anos.

Fonte: Luiz Esmael / Jornal A Gazeta
23/10/2012

3 comentários :

Jomax disse...

A situação do Mixto é igual a do Vasco. Ambos estão com 3 meses de salários atrasados. E o incrível é que o Governo de Mato Grosso (... que Lúdio tá que tá com o Silval) deve 200.000,00 ao Mixto e não paga. Acho que os dirigentes do Mixto deveriam procurar urgentemente o Mauro Mendes e fazer o seguinte acordo: O Mauro daria esses montante ao Mixto até nesta sexta e no jogo do Mixto contra o REC (que talvez seja no sábado) a foto ou o nome de Mauro Mendes ficaria estampado na camisa do Mixto dos dois lados. Seria uma saída, e não estou brincando, to falando sério mesmo.

Jomax disse...

Referente ao que escrevi antes: Sobre a estampar a foto do Mauro na camisa poderia caracterizar compra de voto, conforme conselho do mixtense Aroldo. Então, antes o Mixto deveria analisar o ato se seria válido ou não.

Marcelo disse...

Vou dar minha opinião. Apesar de Paulo Almeida e Nonato terem jogado bem pelo MIXTO, temos que ser realistas o clube não tem condições financeiras, organizacionais e nem admnistrativa de manter jogadores com salários acima de R$ 3.000,00 no elenco. Na minha opinião nem devia estar disputando a Copa Mato Grosso, depois da Série D tinha que ter parado com o futebol, pago os atlestas, dispensado todo mundo de fora e se preparar para 2013 de forma organizada, porém essa palavra foi banida do dicionário Mixtense....

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!