6.10.12

Mixto negocia parte das dívidas trabalhistas mas ainda não conseguiu cumprir pagamento


Sem Sossego: Ações atrapalham o Mixto
Presidente Hélio Machado ainda não arrecadou o dinheiro para cumprir acordo na justiça. Dívida pode voltar a subir se o problema não for resolvido
Dívidas trabalhistas continuam atormentando a vida financeira do Mixto. Na manhã de ontem, o presidente do clube Hélio Machado estava em busca de R$ 40 mil para dar início a um acordo sugerido pela Justiça do Trabalho, responsável em ter intermediado uma conciliação junto a um grupo de 26 jogadores que acionaram o clube na Justiça. O montante inicial era de R$ 550 mil e baixou para R$ 220 mil.

O dirigente estava desesperado para dar a primeira parcela como garantia de que a dívida seria quitada pelo clube. Caso não depositasse o valor até o final   da tarde de ontem, a negociação corria o risco de ser invalidada, com grande chances de voltar a estaca zero. Ou seja, o valor da dívida aumentaria novamente.

Machado lamenta o fato de não encontrar respaldo junto aos mixtenses mais ilustres. “Infelizmente, já procurei alguns torcedores, conselheiros que podem ajudar o Mixto e não encontrei ninguém para arrumar essa grana. Tivemos um grande trabalho para baixar a dívida de R$ 550 mil para R$ 220 mil. Precisamos de R$ 40 mil para que esse valor não aumente mais, mas acho que o negócio tende a voltar a estaca zero, infelizmente”, ressalta o dirigente.

Na próxima quarta-feira, dia 10, o Conselho Deliberativo do Alvinegro da Vargas se reunirá para criar o Conselho Gestor, que ficará responsável em criar cargos e indicar pessoas para desempenhar funções burocráticas dentro do clube. Segundo Machado, o objetivo é descentralizar o trabalho de suas mãos.

Infelizmente, hoje são poucas pessoas que trabalham em pró do Mixto. A sobrecarga de trabalho recai sobre mim. Precisamos de mais colaboradores para ajudar a tocar o clube”, disse o dirigente alvinegro.

Fonte: Luiz Esmael / Jornal A Gazeta
06/10/2012

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!