23.11.12

Saída de Hélio ainda não está definida, presidente estaria aguardando ressarcimento de dinheiro gasto de seu bolso


Machado endurece discurso: Atual presidente do Mixto condiciona renúncia ao ressarcimento do que investiu no time
Presidente Hélio em reunião com o Conselho Deliberativo (Foto: Fábio Ramirez)
A renuncia de Hélio Machado da presidência do Mixto não está totalmente dada como certa. Apesar de ter afirmado o início de transição para entregar o clube em alguns dias ao Conselho Gestor, ele pretende lutar até o último instante para deixar o cargo. Nos bastidores, Machado alega ter investido dinheiro de seu próprio bolso para salvar as finanças do Alvinegroda Vargas em quase dois anos de mandato.

Em recente entrevista ao jornal A Gazeta, o atual presidente reclamara da situação financeira do clube, o qual o forçava a realizar alguns empréstimos bancários para bancar despesas como transportes para viagens ao interior do Estado, alimentação, hospedagem e até mesmo folha de pagamento.

Chateado com alguns questionamentos feitos por alguns membros do Conselho Gestor que estariam cobrando mais transparência em sua gestão, Hélio Machado está condicionando sua saída do clube ao ressarcimento do que investiu no período de seu mandato. Especula-se que ele teria injetado mais de R$ 100 mil.

O Hélio Machado não irá entregar o cargo de mão beijada ao Conselho Gestor. Ele vai lutar até o fim. Primeiro, por quê trabalhou praticamente sozinho todo esse período. Segundo, foi sob sua presidência que o Mixto está voltando a disputar a Copa do Brasil. Terceiro, ele investiu dinheiro de seu bolso para aliviar algumas situações de apuro. Agora, ele quer receber de volta o que foi investido”, revelou uma fonte ligada ao clube que pediu sigilo de sua identidade e concorda com a exigência feita pelo dirigente.

O Hélio trabalhou muito e merece ser respeitado pelo que vem fazendo ao clube”, complementou.

No início da semana, Hélio Machado em entrevista A Gazeta afirmou que está disposto a abrir mão de quase um ano de mandato em pró do Alvinegro da Vargas. Mas demonstrou certa mágoa da forma que os membros do Conselho Gestor se posicionam sobre a sua gestão. “Vou entregar o Mixto ao Conselho, que promete transparência, algo que eles (membros) não enxergam na minha gestão. Torço para que dê tudo certo quando eles assumirem”, disse.

Hélio quer colocar contas em dia

A maior preocupação da atual diretoria é colocar em dias os salários do elenco de jogadores, funcionários e comissão técnica. O clube aguarda receber do governo do Estado cerca de R$ 300 mil referentes ao repasse da ajuda financeira pela participação no Mato-grossense deste ano e patrocínio também de Mato Grosso no uniforme do time durante a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D.

Por conta da indefinição de quem comandará o Mixto na próxima temporada, ninguém sabe quem são os jogadores que vão defender o clube no Campeonato Mato-grossense e na Copa do Brasil, torneios estes marcados para serem abertos logo nos primeiros meses de 2013. Até o técnico está indefinido.

A preferência de Hélio Machado é que o Conselho Gestor não desfaça do trabalho iniciado por Éverton Goiano e encerrado por Eduardo Henrique, que assumiu o time na reta final da Copa do Mato Grosso. Foi sob comando de Eduardo que o time alvinegro conseguiu assegurar a segunda vaga do futebol estadual para disputar a Copa do Brasil.

Procurado pela reportagem da A Gazeta, Hélio Machado não foi encontrado para comentar sua sobre possível saída.

Fonte: Luiz Esmael / Jornal A Gazeta
23/11/2012

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!