7.1.14

Éder Moraes: "o Operário é hoje o Mixto reserva. Depuramos o elenco. Ficou quem queria"


O presidente do Mixto se manifestou publicamente nesta terça-feira pela primeira vez sobre a ‘debandada’ de funcionários e jogadores do Alvinegro para o rival Operário. Afirmando que o Tricolor “fez um grande favor” ao seu time, Eder Moraes ironizou o elenco do rival afirmando que “o Operário é hoje o Mixto reserva”. Sem citar nomes, o dirigente também definiu como “três canalhas” alguns ex-mixtenses.

"O César Gaúcho (presidente do Operário) nos fez um grande favor. Depuramos o elenco. Ficou quem queria ficar. E olha, desfizemos um grupo que não ganhou nada com o Mixto, que na hora decisiva sempre amarelou, como na final do Estadual, na Série D, na Copa do Brasil…" declarou Moraes em entrevista ao vivo no programa CBN Cuiabá (Rádio CBN Cuiabá – 590 AM), na manhã desta terça-feira.

O presidente também disse ter dado um ultimato ao volante Kiko, outro jogador que recebeu proposta operariana: “disse que ele nos interessa, mas que estava livre para ir, pois só queremos que fique quem assim quiser”. Kiko decidiu continuar no Mixto!

Eder também anunciou que “dois ou três jogadores que o Operário levou ainda tem contrato em vigência com o Mixto, quero só ver como vão jogar no dia 19 (clássico da primeira rodada do Campeonato Estadual). Estou de olho e tudo o que eu quero é pegar o Operário numa situação de irregularidade".

Ainda sobre os mixtenses que atravessaram a ponte, Moraes defendeu a expulsão do ex-presidente Hélio Machado do Conselho Deliberativo do Tigre: “tem que ser expulso imediatamente e dar graças a Deus de não ser processado”.

Craques do Rádio - Foto: Olhar Esportivo

 

1 comentários :

Anônimo disse...

A TORCIDA DO MIXTO DEVERIA FAZER COMO A DA LUSA...O MIXTO FOI PREJUDICADO COM A PARALIZAÇÃO E A PALHACADA DO APARECIDENSE...VEJA ESTA REPORTAGEM. Rio de Janeiro, RJ, 07 (AFI) - A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estuda realizar o Campeonato Brasileiro de 2014 com 24 clubes. Isso porque está numa encruzilhada, desde a denúncia de que a Portuguesa foi punida com o rebaixamento, e o Fluminense se manteve na elite da competição.

Apesar da possibilidade, isso só deverá acontecer caso os torcedores da Portuguesa consigam liminares favoráveis na Justiça Comum da capital paulista. A ação obrigaria a entidade a manter o clube na Primeira Divisão. Os julgamentos deverão acontecer nas próximas semanas.

O movimento nos bastidores também conta com dirigentes experientes e com forte influência no futebol nacional. Eurico Miranda é um deles. Ex-presidente do Vasco, ele tenta a ‘virada de mesa’ para que o clube da Colina não tenha que disputar a Série B neste ano. Ele ainda tem o sonho de voltar ao comando do grande carioca.

Três pessoas já comunicaram a Portuguesa sobre a ideia da CBF. O Campeonato seria disputado nos moldes pré-pontos corridos. Situação esta que foi vista no início do século, quando foi criada a Copa João Havelange. Naquele ano os times foram divididos em módulos.

A posição oficial da Portuguesa é aguardar a investigação do Ministério Público de São Paulo, sobre a legalidade do processo de punição do clube paulista. A previsão é de que o órgão emita um parecer até quarta-feira. Posteriormente, a Lusa deve tentar reverter a queda para a Série B por meio dos órgãos esportivos mundiais, como a Fifa e a Corte Arbitral do Esporte (CAS), antes de apelar à Justiça comum. .........LEO....

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!