Opinião: "Fora Taques enquanto dá tempo de salvar a Série D e evitar vexame contra o Santos"


O Alvinegro acaba de ser eliminado pelo Vilhena Esporte Clube de Rondônia! Passamos meses na expectativa de disputar a Copa Verde e projetar o Mixtão nacionalmente com uma final contra um Paysandú, Remo ou quiçá o título de campeão e projeção internacional numa Copa Sul-Americana. O sonho acabou, desabou com Éder Taques no comando do naufrágio.

Várias desculpas surgiram para o vareio que tomamos em Rondônia, como falta de preparo e cansaço da viagem. Mas nada pode esconder que Éder Taques escalou e posicionou errado o time. Quando o Tigre marcou gol Éder Taques recuou a equipe com três volantes, depois, precisando fazer gol colocou o poste e seu pupilo do Tito. Tudo bem que o Igor falhou, mas levar quatro gols e só fazer um? Levar goleada para um time que nem jogado tinha em 2014?

No jogo de volta aqui no Dutrinha a burrice do técnico se repetiu, falta de respeito com a fanática torcida que acreditou na virada, inspirada na raça e na mística da camisa alvinegra. 

Primeiro é preciso dizer que os dois gols marcados por João Paulo foram méritos dos jogadores, que com vontade atuaram. Mas o time estava desorganizado taticamente, mesmo assim, a vontade de ganhar, empurrado pela torcida, fez o Mixto botar pressão do começo ao fim. 

Vencendo por dois a zero veio a expulsão do lateral direito do Vilhena. Pronto, parecia que agora viria fácil o terceiro gol e a classificação. Mas Éder Taques não via, somente ele não via, a avenida aberta que ficou na lateral com a expulsão. Mesmo com um jogador a mais o Mixto não soube ocupar o meio campo e explorar a vantagem numérica, pois não havia um técnico para organizar a formação tática. 

E, para piorar, mais uma vez o senhor Éder Taques chamou o poste e seu pupilo do Tito para entrar em campo. Pronto, como ia fazer gol com um jogador a menos no ataque. Não deu outra, Tito não fez nada, como o previsto e ainda foi o responsável pelo início da jogada que resultou no gol do Vilhena e Taques tirou de campo o melhor jogador, o Ítalo. A consequência foi tomar o gol e a Deus classificação.

Técnico teimoso. Será que o Boiadeiro estava certo? Só tem papo. Será que é verdade que depois do Tito agora ele quer trazer o Lulu, como solução para o Mixto?

Vamos lá presidente Éder Moraes, ainda dá tempo de salvar a classificação para a Série D e evitar um desastre na Copa do Brasil. 

Precisamos de um técnico de verdade! É preciso aprender a lição, lembra o que deu com o Ito Roque com a teimosia de manter o Paty? Lembra o que deu com o Cláudio Adão com a teimosia de manter o Felipe Adão? Se não mudarmos logo, nosso time futuramente será Caixas D'Águas, Jônatas, Valderramas e Lulus da vida.

Por Ricardo Freitas

(Texto enviado pelo torcedor. Envie também sua opinião para contato@mixtonet.com)