23.10.14

Ídolo do Mixto, Rômulo Augusto luta pela vida



 
O ex-jogador Rômulo Augusto trava uma árdua batalha pela sobrevivência. Ídolo doMixto nas décadas de 60 e 70, o ex-volante alvinegro luta contra um raro e devastador vírus da hepatite C, que já consumiu 70% de seu fígado. Com sérios problemas hepáticos desde final de 2012, Rômulo depende de dois remédios de alto custo, fabricados nos Estados Unidos, para continuar vivendo. Duas contas bancárias estão recebendo doações.

Hoje com 67 anos, o ex-jogador necessita especificamente dos comprimidos ‘Simeprevir’ de 150mg e ‘Sofosbuvir’, de 400mg para combater o vírus apontado como o responsável em ter provocado uma cirrose hepática. Desde final do ano de 2012 enfrentando a doença, Rômulo chegou a perder 25 kg em função do intenso tratamento feito por um coquetel de remédios.

Hoje, ele ressalta estar melhor de saúde, mas que esteve pior nos primeiros meses da descoberta da doença. “Já estive bem pior, a beira da morte. Não levantava mais da cama, não conseguia tomar banho sozinho. Fiquei deprimido, já não acredita em viver mais. Mas encontrei profissionais que deram esperança de vida, receitando os remédios que são fabricados lá nos Estados Unidos. A minha batalha de agora em diante é conseguir levantar esse dinheiro para comprá-los. Aqui no Brasil não há prazo para a sua comercialização e muito menos a distribuição em farmácias de alto custo”, relata o ex-jogador mixtense, que fez história em ter defendido o Alvinegro da Vargas por 16 anos consecutivos – Rômulo não defendeu nenhum outro time.

Em função da falta de prazo para os medicamentos chegarem em território brasileiro, Rômulo Augusto vê como única saída realizar o tratamento com ‘Simeprevir’ e ‘Sofosbuvir’, fora do País. Para isso, ele está realizando uma campanha para angariar recursos, para tentar prolongar a sua vida. Segundo ele, o tratamento com os dois remédios custa 800 mil dólares.
Rômulo vive hoje um drama pessoal (Craques do Rádio)
“Estou apelando aos meus amigos e conhecidos para realizar esse tratamento fora do Brasil. O pior é que não temos prazo de quando esses remédios vão estar disponíveis no Brasil para quem têm essa doença, que não é rara. O problema é o tratamento que é duro e caro”, assinalou Rômulo.

O que deixa o ex-jogador, sua família e amigos preocupados é o fato que caso o vírus da hepatite C não for combatido a tempo, há o grande risco dele perder a batalha e depender exclusivamente de um transplante de fígado.
Rômulo Augusto não quer enfrentar a longa fila de espera por um doador do órgão. Segundo ele, além do problema da incerteza, há o outro pela incompatibilidade de tecidos.“Diante desse quadro grave, só vejo como solução tratar da doença fora do Brasil. Mas para isso preciso da ajuda e colaboração dos amigos. Contudo, a minha vida está nas mãos de Deus, que é o médico dos médicos”, frisou.

Foi num exame de rotina que o ex-jogador foi diagnosticado com a doença hepática. Hipertenso e diabético, ele, a princípio, desconfiança que o problema descoberto estaria ligado ao consumo de bebida alcóolica. Para sua surpresa, ele foi vítima das inúmeras aplicações que tomava para ganhar condição de jogo ou evitar lesões na época em que era jogador profissional pelo Mixto.
Rômulo (à direita) contra Zico no Estádio Verdão na década de 70 (Craques do Rádio)
O maior problema, segundo Rômulo Augusto – baseado em relato de um dos médicos que o examinaram, “nas décadas de 60 e 70, principalmente, era comum os atletas compartilharem uma mesma seringa, sem nenhum tipo de esterilização. Eu me lembro que os massagistas do Mixto, na época, faziam o papel de médico. Nos aplicavam injeção com uma mesma agulha, apenas a colocava em panela com água quente. Era apenas isso.

Segundo o ex-volante mixtense o seu médico disse que vários ex-jogadores da década de 70 teriam contraído hepatite por conta da falta de conhecimento dos profissionais que eram responsáveis pela saúde dos atletas.

Preocupado com seu estado de saúde, Rômulo Augusto, com ajuda do ex-prefeito de Cuiabá, Roberto França, que comanda um programa televisivo, lançaram a campanha pela vida do ex-jogador. Sem estipular qualquer quantia, o movimento pró Rômulo disponibilizou duas contas bancárias para receber as doações. Uma delas é na Caixa

Econômica Federal. Agência 0686. Conta poupança: 01300013444-1. A outra é do Banco do Brasil. Agência 2363-9. Conta poupança: 50.974-4, variação 41.

Oliveira Jr. / Craques do Rádio
23/10/2014

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!