DESFALCADO, MIXTO SOFRE DERROTA PARA O RIVAL OPE NA ESTREIA: 3X0


No primeiro Clássico dos Milhões na Arena Pantanal deu Operário. O Tigre da Vargas entrou em campo desfalcado de cinco jogadores (lateral Taboada, o goleiro Ortiz e o meia Benítez não foram regularizados. O zagueiro Jonathan e o volante Matos estão lesionados e só voltam no fim do mês) e foi derrotado pelo placar de 3 a 0. Mesmo sem grande público na Arena Pantanal que recebeu rodada dupla, a torcida do Mixto era visivelmente a maioria e fez uma linda festa na entrada dos jogadores e até tentou empurrar o time em alguns momentos, mas sem sucesso.

O Operário jogou com um time já entrosado, usou a base que disputou a Série D do Brasileiro e foi superior no jogo. 

Na próxima rodada, o Mixto vai até Poconé enfrentar o time da casa, quarta-feira, às 16h. O Operário recebe o Luverdense, na Arena Pantanal, quarta-feira, às 21h. 

O jogo
Mixto e Operário na Arena Pantanal (Foto: Lucas Ninno/Secom-MT - Globo Esporte)
O alvinegro entrou em campo com uma camisa ‘retrô’, idêntica ao uniforme tricampeão nos anos 80, mas a homenagem a ídolos como Gonçalves, Miro e Bife, não deu certo.

A primeira chance do jogo foi do Chicote. Pablo, a queima roupa, bateu forte, mas Yuri defendeu, no rebote, Geilson mandou para fora. Não demorou muito e o Tricolor abriu o placar. Aos 11 minutos, numa triangulação rápida o Ope entrou tabelando com Jackson, Pablo e Geílson, na área alvinegra, para Pablo soltar a bomba, indefensável para o goleiro mixtense: 1 x 0. Aos 16, Everton salvou o Chicote, na chegada de Rafael Silva, fazendo a defesa com as pernas. Em seguida, Jeanzinho lançou Pablo, na direita, livre de marcação, no segundo pau, mas mandou para fora a chance do segundo.

Principal jogador de articulação do meio campo alvinegro, Bruno sentia a falta da velocidade dos companheiros nas finalizações e as jogadas paravam no meio do caminho. Já o Operário se acomodou e se demonstrava satisfeito com o placar. Aos 41 um lance para acordar a torcida alvinegra: Bruno fintou a zaga e chutou de fora da área, buscando o canto esquerdo superior de Éverton, que estava batido, mas por sorte a bola saiu pela linha de fundo. Aos 43, Choco jogou para fora outra chance, cara a cara com o goleiro operariano. Um minuto depois, Kall mandou a bola no travessão mixtense e ainda reclamou de pênalti. Aos 45, Finazzi emendou uma bomba, após rebote da zaga, para fora. Foi o último lance da primeira etapa, para a sorte do Mixto.

Logo no começo do segundo tempo Everton salvou o Ope no chute de Rafael Silva, após bela jogada individual. E o Mixto seguiu pra cima do Chicote, até Pablo ampliar aos 13, após falha da defesa alvinegra. A bola ainda chegou a tocar na trave esquerda de Yuri, antes de entrar: 2 x 0. Aos 22, o artilheiro da noite foi substituído por Éder Grilo.

Aos 27 minutos o ala Kaoê desceu em velocidade, livre de marcação pela esquerda, mas falhou na conclusão, cara a cara com Everton. Quatro minutos depois Geilson cruzou na medida para Eder Grilo, que chegou atrasado para o cabeceio. Aos 35, Geílson marcou o terceiro, de cabeça: 3 x 0.

Apesar do esforço da FMF para recuperar a Arena, que estava em estado de abandono, principalmente o gramado, o placar eletrônico não funcionou.

Ficha técnica

- Jogo: Mixto 0x3 Operário (Rodada dupla/Preliminar de Cuiabá x Dom Bosco)
- Local: Arena Pantanal
- Árbitro:
- Público presente: 8.332 pessoas
- Público pagante: 6.659 pessoas 
- Renda: R$ 125.650,00
- Mixto: Yuri Lago, Charlie, Sabiá, Dodô e William Silva, Rafael Rassi, Kaoê, Choco e Bruno de Paula; Rafael Silva e Piá. Técnico: Márcio Marolla.
- Operário: Éverton, Finazzi, Kall, Yuri e Jeanzinho; Jamba, Jean, Renan e Jackson, Geilson e Pablo. Técnico: Eduardo Henrique.

Mixtonet - Craques do Rádio - Globo Esporte
01/02/2015