6.4.15

Diretoria pensa em jantar e leilão e presidente propõe que o Conselho assuma a base


Gatão, presidente do Mixto
Ainda devendo em torno de R$ 40 mil para jogadores e demais funcionários que participaram do Campeonato Mato-grossense o Mixto tenta se “reorganizar financeira e administrativamente”, conforme definição do presidente Paulo César Gatão. Um “jantar beneficente, seguido de um leilão” está sendo organizado para maio, mês de aniversário do clube. A reunião com o Conselho Deliberativo, marcada para a semana passada, acabou não apresentando resultados porque o clube não entregou a prestação de contas pedida.

– Ainda devemos em torno de 40 mil, temos algum dinheiro para entrar e estamos priorizando a quitação destes débitos. Já pagamos trinta mil da folha, liberamos os jogadores e desativamos a casa dos atletas. Só o Washington ainda está em Cuiabá e temos a recuperação do Bruno para custear. Nós, da diretoria, estamos trabalhando para quitar tudo e então iniciarmos um projeto de replanejamento do clube – afirmou o dirigente.

Segundo Gatão, um jantar beneficente e um leilão estão sendo organizados para o dia 18 de maio. “Vamos cobrar cinqüenta reais por pessoa para o jantar e devemos vender pelo menos quatrocentos convites. O leilão está sendo organizado pelo Zé Luis (Paes de Barros, ex-presidente). Ele, o Antero (Paes de Barros) e o Mário Cândia vão reunir com os amigos em torno de vinte animais, entre bois e cavalos. Com o leilão vamos conseguir uns cinqüenta mil”, acredita.

Depois de quitados os débitos o Mixto terá três prioridades, segundo o presidente:

– Vou propor que o Conselho Deliberativo assuma a responsabilidade sobre a base do Mixto, para que dê também sua contribuição efetiva para o clube. Também estamos fechando uma parceria com a UFMT (Universidade de Mato Grosso) através da qual poderemos usar toda a estrutura de lá, como academia, quadra, piscina e apoio dos setores de medicina e nutrição, por exemplo. Outra coisa emergencial é entrar no programa lançado pelo governo para parcelamento das dívidas dos clubes.

Sobre o Conselho Gatão disse ainda que “eles (os conselheiros) precisam participar mais, ajudar mais e não ficar apenas cobrando”. O Conselho havia dado um prazo para a diretoria apresentar uma prestação de contas sobre a participação do Tigre no Campeonato Mato-grossense deste ano. Isso não aconteceu e a ‘cobrança’ foi renovada.

Craques do Rádio 
06/04/2015

1 comentários :

Anônimo disse...

O MIXTO precisa de Conselheiros com cacife financeiro. A maioria esmagadora dos conselheiros não são SÓCIO TORCEDOR e nem pagam a MENSALIDADE OBRIGATÓRIA. Essa diretoria executiva não tem a menor condição de gerir um time de futebol. As reuniões deveriam ser franqueadas aos sócios torcedores que estiverem com as suas obrigações em dia. Nas assembléias das companhias abertas, os acionistas detentores de ações preferenciais participam normalmente das reuniões, somente não tem direito a voto. Vamos copiar esse procedimento para as reuniões do Conselho Deliberativo, franqueando a entrada aos sócios torcedores ADIMPLENTES, sem direito a voto nas deliberações, isso traria um atrativo a mais para a galera alvi-negra aderir ao programa. PAULO SÉRGIO CUNHA - JD. LEBLON - CUIABÁ-MT

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!