5.10.15

Atletas denunciam que pagam propina a empresário para poder jogar no Mixto


Jogadores que disputarão a Copa FMF Sub-21 pelo Mixto Esporte Clube denunciaram que empresários ligados ao clube estariam cobrando dinheiro para atletas integrarem o elenco da equipe na competição. Reportagem divulgada no sábado pelo Jornal do Meio Dia (TV Record) mostra que um empresário, identificado como Marquinhos, exige R$ 1 mil para que um jogador do Paraná seja integrado ao elenco.

Na conversa, que foi gravada, o atleta quer saber se irá realmente fazer parte do clube caso repasse o dinheiro ao negociador. “Você sabe né, é o meu sonho e não quero perder esta oportunidade”, diz o rapaz que registrou boletim de ocorrência contra os empresários e o próprio clube.

O empresário assegura que ele integrará o elenco assim que pagar o valor exigido. “É garantido. É você pagar e começa a treinar com a gente”, garante Marquinhos.

O atleta afirma não ter o dinheiro completo para repassar ainda no final do semana. “Meu pai só vai poder passar este dinheiro na segunda-feira. Hoje não tenho todo este dinheiro. Será que já vou poder treinar”, questionou o garoto.

O empresário afirmou que uma “entrada” já seria suficiente para ele começar os treinamentos. “Faz o seguinte. Leva pelo R$ 500 que aí a gente coloca você com o grupo”, falou o empresário, informando que outro empresário, identificado como Thiago, estaria no local do treinamento para receber os valores.
Em Chapada dos Guimarães, outros jogadores que já treinam com a equipe confirmaram que tiveram que pagar para fazer parte do grupo. A maioria deles são de outros estados e estão alojados numa república. O elenco mixtense é formado por cerca de 40 atletas, que tem menos de 21 anos.

Responsável pela parceria com o clube, o pastor Antônio Barbosa reconheceu que alguns jogadores pagaram para fazer parte do grupo. Segundo ele, os valores seriam para custear os gastos. “Alguns até ajudam mesmo, mas a maioria não”, assinalou.

Já os empresários Marquinhos e Thiago, que também seriam jogadores, negaram a cobrança de jogadores. Um atleta que os acompanhava também negou ter pagado para jogar no clube. “A única coisa que exigiram foi um DVD para ver como eu jogo. Mas dinheiro não”, declarou.

Já o Marquinhos afirmou que a parceria com o clube tem objetivo de revelar jogadores para obterem lucros em possíveis negociações futuras. “Se ocorresse esta situação de cobrar, o Mixto também estaria recebendo, porque somos uma gestão de parceria”, frisou.

O presidente do clube, Paulo César Carmago, o “Gatão”, informou que o clube não tem conhecimento desta denúncia e que não recebe dinheiro por parte de atletas. Ele afirmou que irá se inteirar dos fatos antes de emitir um posicionamento oficial.

Caso as denúncias sejam comprovadas, os empresários e dirigentes alvinegro podem ser enquadrados no crime de extorsão. A pena varia de 4 a 10 anos de detenção e pagamento de multa.

ESTREIA

O Mixto estreia na Copa FMF 2015 nesta segunda-feira, às 20 horas, na Arena Pantanal. O clube está no grupo A da competição, que conta ainda com Rondonópolis e União. Ainda disputam o torneio, que garante vaga à Copa do Brasil, as equipes do Sinop, Luverdense e Cuiabá.

Fonte: Folha Max - Foto: Robson Boamorte/Globo Esporte
05/10/2015

0 comentários :

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!