Após proibir bandeiras e batuque, juíza Patrícia Ceni articula contra liberação da cerveja


Patrícia Ceni
Patrícia Ceni. Este é o nome mais ouvido e temido junto a maioria dos presidentes de clubes e torcedores. Juíza, Ceni até pouco tempo era responsável pelo acompanhamento das torcidas nos estádios de futebol, em especial na Arena Pantanal. Rigorosa, a magistrada já é vista junto aos desportistas como uma autoridade judicial que ‘joga contra’ o bem do futebol profissional de Mato Grosso.

No Arbitral Técnico para discutir o Campeonato Mato-grossense do próximo ano, há quem sugeriu até um movimento contra Patrícia Ceni. Assim que soube da existência do projeto de lei para a liberação de consumo de cerveja nos estádios, a juíza foi até a Assembleia Legislativa alertando para o risco de se aprovar a proposta apresentada pelo deputado Dilmar Dal Bosco. Segundo o parlamentar, a juíza chegou a ir de gabinete a gabinete pedindo para que os deputados votem contrário ao projeto a ser apreciado.

Sem querer emitir qualquer crítica ao trabalho da juíza Patrícia Ceni, Dilmar pediu para que cada presidente de clube reforçe o interesse junto ao deputado mais próximo. “É preciso também que vocês façam sua parte, conversem com seus deputados. É importante esse trabalho de bastidores, reforça ainda mais”, assinalou o parlamentar.

Além da atuação rigorosa da juíza contra a liberação de cerveja nos estádios, outro tremor é quanto a ala evangélica na Assembleia Legislativa. Há deputado como Sebastião Rezende (PR), de Rondonópolis, é totalmente contra álcool em praça esportiva.
Torcedores protestaram contra medidas da juíza Patrícia Ceni
(Foto: Marcus Vaillant / Jornal A Gazeta)
Fonte: Luiz Esmael / Jornal A Gazeta
10/10/2015