13.6.16

Cristino agradece os 46% recebidos e analisa a eleição perdida por 5 votos. Confira


Antes de tudo quero agradecer cada um dos 32 votos que a Chapa 02 ‘Renovação Alvinegra, Resgatando a Tradição’ obteve na eleição do Mixto. São 46,3% dos votantes que disseram não ao amadorismo. O resultado mostra que quase a metade dos conselheiros não aceitam mais o que Alvinegro continue na situação que se encontra. Foram votos de oposição, de protesto contra os desgovernos e aventuras administrativas que, hora apresentava pastores, outrora promessas da China. Desgoverno que abre loja em um dia para fechar no mês seguinte; que lança sócio torcedor e em seguida abandona tudo.

Nossa chapa fez o debate da urgência do Tigre se profissionalizar, planejar, e explicou que isso começa com a renegociação das dívidas, para viabilizar a parte contábil do clube. Apresentamos que outro passo a ser dado seria um ofensivo trabalho de marketing e um verdadeiro programa de Sócio Torcedor.

É certo que não foi dessa vez. Perdemos a eleição, mas, por outro lado, deixamos fincado a bandeira do futebol moderno, que continua tremulando na esperança dos torcedores de terem o glorioso Mixto de volta. Nada vai apagar essa chama.

A cada dia o cerco se fecha para os dirigentes amadores e aproveitadores. Antes eles tinham margem de manobra no Mixto, agora possuem cada dia menos fôlego. Na venda da sede não existia órgão fiscalizador nem oposição, tudo acontecia a toque de caixa.  Há pouco mais de três anos o Alvinegro continuava vulnerável a qualquer tipo de charlatão, até acusações de caixa dois eleitoral o Tigre sofreu. 

A ‘Renovação Alvinegra, Resgatando a Tradição’ teve origem na luta por um conselho deliberativo e fiscal que fosse atuante. Chegamos a uma primeira experiência com a tentativa de implantar um conselho gestor, sabotado por antigos cartolas. Na eleição do ex-presidente Paulo César Gatão, quando o mesmo foi eleito com 19 votos favoráveis e 13 contra, mesmo sendo chapa única, não conseguimos apresentar uma alternativa, mas a rejeição ao amadorismo já se expressava. 

Chegamos ao comando da mesa diretora do conselho deliberativo, e, ao combater por transparência e prestação de contas no Mixto recebemos todo tipo de retaliação, que nos levou a uma renúncia coletiva. A batalha continuava em outras frentes de intervenção. 

Até que nessa eleição apenas cinco votos separou o projeto da mudança do projeto da continuidade. Lamentavelmente beneméritos, honorários e conselheiros que a muito tempo não acompanham a vida do Mixto acabaram decidindo a eleição. Mas isso faz parte do jogo eleitoral. Porém, é fantástico saber que nos conselheiros atuantes nós vencemos. Isso significa que a semente está plantada para a transformação. 

Apesar dos dirigentes serem praticamente os mesmos da gestão passada, desejemos que a diretoria eleita e o presidente Walter tenham sucesso, que abandonem os vícios do amadorismo e profissionalizem o Mais Querido. Não podemos mais errar, pois quem paga o pato é sempre o torcedor. 

Cristino Batista

13/06/2016

2 comentários :

Anônimo disse...

se o voto é secreto e eu realmente acredito que o foi como saber que venceu nos conselheiro atuante, e perdeu nos conselheiros afastados?

Anônimo disse...

Cristino esqueceu de dizer que no seu grupo tem nego envolvido na Ararate passou por sua conta mais de R$ 1.700.000,00 que éra para o Mixto, isso é que é profissionalismo, falando nisso você pediu prestação de contas para ele? O grupo Gestor vendeu 100 camisas do Mixto Onde tá a prestação de contas, publicou em que jornal, Transparência acho que você não sabe o que é. Cristino você alugou uma sala para o conselho e simplesmente nenhum conselheiro chegou de visitar tal local, e em um m~es fechou, opa isso é profissionalismo. Você levou até o Riva para votar em você me fale qual dia ele foi na reunião do Conselho.

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!