8.6.16

Propondo profissionalisar o Mixto, Cristino apresenta chapa para presidência


Cristino Batista é o primeiro a se apresentar oficialmente como candidato a presidente do Mixto. Junto traz uma chapa formada por torcedores empresários e professores. O ideal, segundo ele mesmo define, é viabilizar o clube e recuperar o orgulho de ser mixtense. O vice-presidente administrativo é Adolfo Taques; José Luis Carreto Pardal está na vice-presidência financeira; fecham a chapa executiva Fábio Ramirez na vice-presidência de comunicação e Marcus Penna como vice-presidente de esportes.

As inscrições encerram-se nesta quinta-feira dia 9 de junho, quando uma apresentação será feita aos conselheiros. Especula-se a formação de uma segunda chapa, encabeçada pelo conselheiro Walter. A eleição será dia 11 de junho.  

Confira entrevista com o presidenciável Cristino Batista.
Cristino Batista, candidato a presidente do Mixto
Porque apresentar uma chapa para concorrer à direção do Mixto?

- Como torcedor eu responderia que é uma tentativa de salvar o clube do meu coração da falência, caminho que vem seguindo a passos largos. Mas quero responder essa pergunta como gestor: Nossa candidatura acredita que é possível profissionalizar a gestão do Mixto. O futebol evoluiu e o Mixto parou no tempo. O futebol moderno não aceita mais amadorismo. Pensamos que o Mixto deve funcionar como uma empresa e ser fiscalizado como um órgão público. Não se trata de tornar o clube uma empresa, mas sim de ser gerido como se fosse uma. 

Como fazer isso?

- Planejamento, metas, trabalhar com objetivo-resultado, decisões coletivas e fé no torcedor. Tem que acreditar na torcida. As últimas gestões ignoraram o poder do torcedor. Queremos fazer o contrário, trazer a torcida para dentro, para o projeto. Um sistema de Sócio Torcedor é uma de nossas apostas para o capital inicial. É um absurdo o que fizeram, abandonaram o Sócio Torcedor sem dar maiores explicações. Eu lembro que tinha quase duzentos sócios ativos e mais de dois mil cadastros de torcedores querendo virar sócio, estavam lá, esperando o contato da diretoria. 

Mas, qual será o primeiro passo?

- O primeiro passo é resolver o impasse financeiro do clube. Hoje o Mixto não tem contracheque, conta corrente oficial e nem pode receber um grande patrocínio, por que a justiça do trabalho toma tudo. As últimas diretorias tocam tudo na gambiarra, uma conta emprestada aqui, uma na cooperativa ali e até notas fiscais já inventaram. Não adianta empurrar com a barriga, tem que resolver o problema. E não existe outra forma que não seja encarar a dívida. Alguns vivem reclamando que não existe dinheiro ou se não já tinham pago a dívida. De fato, dinheiro não tem, mas isso poderia ser resolvido de muitas outras formas se o Mixto tivesse uma diretoria séria e profissional. Por exemplo, um acordo com a justiça para rolar a dívida, pagando uma parcela fixa dentro da realidade e mais um percentual da arrecadação. Outra alternativa seria o sistema de convênio ou mutirão de negociação. É de interesse da justiça, que já ofereceu recentemente uma proposta desse tipo para o Alvinegro, mas os diretores do clube se acovardaram a enfrentar o desafio de arrecadar cerca de dez mil mensal para o acordo. Ficaram com medo de não cumprir. Com as contas OK abriria portas para novas parcerias de peso. 

Como será montado o time?

- Sempre dentro da capacidade de pagamento do clube. Tem dirigente que acha que só vai trazer atletas bons se oferecer altos salários. Achamos que é mais importante pagar em dia, mesmo que seja um salário menor, mas honrar com nossas obrigações. Queremos também implantar o sistema de rendimento, o jogador vai ter um salário definido, mas se ele render mais do que o esperado receberá bônus. Os grandes clubes europeus já fazem isso e estimula muito a produtividade. Outra questão central são as parcerias. Sabemos de bons atletas que às vezes não estão sendo aproveitados por esse ou aquele clube, e podemos aproveitá-los. Basta ter uma diretoria profissional com bom relacionamento no mundo do futebol que os parceiros aparecem. Mas, como de início sabemos das dificuldades financeiras do clube, pretendemos apostar muito na base, aproveitar os garotos da região. Temos bons talentos. Não adianta montar um time e depois sair atrás do dinheiro para pagar. O raciocínio deve ser o contrário, planejar os gastos a partir da capacidade de arrecadação. Primeiro busca-se as parcerias, depois monta-se o time. O contrário disso é irresponsabilidade e a receita para surpresas e mais dívidas. Não estamos aqui para iludir o torcedor com mais promessas de times campeões, a torcida não aguenta mais promessas. Mas sabemos que um trabalho bem feito, profissional, tem como consequência inevitável os títulos.

Falando em categoria de base, qual a ideia para o setor?

- Vamos trabalhar em duas frentes, a categoria de base para abastecer o profissional e gerar receitas com possíveis negociações e a escolinha do Mixto, com apelo social, um lugar para os pais colocarem seus filhos para aprenderem a jogar futebol. O mínimo para uma categoria de base realmente funcionar é ter pelo menos um local digno para treinar, materiais didáticos, vale-transporte e apoio psicossocial, isso tudo pretendemos solucionar com parcerias exclusivas para a base, de forma independente do profissional. 

O que vocês entendem por parcerias?

- É quando os dois lados saem ganhando. Os diretores do Mixto se acostumaram reclamar que ninguém ajuda o Mixto. Vivem de pires na mão implorando esmolas e sempre dão as caras nas portas, e não entendem porquê. Queremos transformar o Mixto em negócio, no qual atrairemos investidores que terão retorno com isso, ganharão e o Mixto também ganhará. O futebol moderno exige isso. Claro, sempre tudo na transparência e publicidade.

Qual o principal obstáculo?

- A credibilidade. Que só se resolverá quando solucionarmos a questão da dívida, como disse. Mas também enfrentaremos o problema da imagem do Mixto, hoje o clube virou sinônimo de inadimplência e corrupção. Temos que mudar isso. Faremos um trabalho ofensivo de marketing, com uma empresa profissional parceira nossa, aliás, uma das melhores do Centro-Oeste. No mundo de hoje comunicação é tudo, não adianta boas ações se elas não chegarem ao conhecimento do torcedor. É um absurdo um clube da tradição do Mixto não conseguir manter um site oficial no ar, não conseguir manter um assessor de imprensa. E pior, não ter um portfólio de negócios para ser apresentado a uma empresa. E não adianta eu ir lá, isso é coisa para profissional, uma agência. Queremos lançar campanhas para trabalhar a marca, agregar valor, trabalhar o orgulho de ser mixtense, resgatar a história. Não adianta criar uma superloja que dura dois meses e fecha. Tem que planejar pensando no horizonte, passo a passo. 

Um último recado?

- Quero me dirigir especialmente aos torcedores para dizer chegou a nossa vez, a vez da torcida. Queremos que você torcedor tenha voz no Mixto. Sem você não há projeto que pode dar certo, é o torcedor que vai fiscalizar, é ele que vai dar o impulso inicial aderindo ao sócio torcedor e é ele a única razão desse clube existir ainda. Vamos resgatar nossa história, relembrar os tempos de Zulmira a Nhá Barbina, mulheres que ousaram e não fugiram a luta. Esse é nosso espirito de combate para profissionalizar o Tigre. Passaram por aqui políticos de todos os tipos, prometeram parcerias milagrosas com chineses e até pastores. Mas de uma coisa isso serviu, mostrar que não vai existir salvador da pátria. Chamamos todos os conselheiros a conhecer nosso projeto, um acúmulo de reflexões e debates de quase dois anos, mas aberto para contribuição de todos. 

Chapa: RENOVAÇÃO ALVINEGRA, RESGATANDO A TRADIÇÃO

- Presidente: Cristino Batista
Contador e ex-presidente do Conselho Deliberativo, quando fez oposição à atual diretoria do clube;

- Vice-presidência administrativa: Adolfo Taques 
Empresário do ramo da construção civil e conselheiro do Mixto, empossado recentemente na última renovação;

- Vice-presidência financeira: José Luis Carreto Pardal
Empresário do ramo de bebidas, tem boa circulação no empresariado cuiabano e experiência na gestão esportiva, quando foi financeiro do S.C. Vila Aurora;

- Vice-presidência de comunicação: Fábio Ramirez
Servidor da UFMT e professor de Educação Física, é dirigente voluntário do site Mixtonet;

- Vice-presidência de esportes: Marcus Penna
Gerente da Escola Legislativa (ALMT) e professor de futsal do ICE. Conquistou todos os títulos de categoria de base do futsal mato-grossense.

6 comentários :

Gilson Olmedo on 8 de junho de 2016 16:23 disse...

Desejo sucesso a todos.

Odeney on 9 de junho de 2016 08:09 disse...

1º passo) TRANSPARENCIA, TRANSPARENCIA e TRANSPARENCIA em especial a FINANCEIRA,visando a Lei do Profut, que no futuro pretende fechar ou reduzir varios Clubes de Futebol Profissional, se não me falha a memoria no Estatuto do Mixto EC diz que, deve ser prestado contas com transferencia de Diretoria, sugiro que mude o Estatuto colocando prestação de contas no inicio dos 02 (dois) primeiro meses do ano seguinte; 2º passo: providenciar urgentemente UMA SEDE PROVISORIA com escrita enorme MIXTO ESPORTE CLUBE -Sede Provisória. O candidato a Pres. e demais candidatos a Vices sabem que da existencia da Lei de Incentivo com IR-imposto de renda se fizer um trabalho com TRANSPARENCIA consiguirão muitos empresarios para investir no nosso querido e grandioso Mixto que tem a maior torcida de Mato Grosso.

Luiz Antonio on 9 de junho de 2016 10:20 disse...

Desejo que tenham sucesso nesta jornada, e que realmente respeitem nós torcedores do Mixto Esporte Clube que hoje somos órfãos de um clube que esqueceu sua essência, a torcida do Mixto é a maior do nosso estado, uma torcida que empurra a equipe, joga junto, ás vezes passa dos limites, mas isso porque a equipe não corresponde em campo, para isso é só fazer um cadastro dos torcedores das organizadas, com lista dos frequentadores, eles são muito importantes para o clube, solicitar o Presidente Dutra como casa do Mixto, nosso alçapão... Boa sorte, confiamos nas pessoas envolvidas.

ademirbarros disse...

Tenho projeto pronto. Aproveitando os sócios cadastrados. 96418263.

Anônimo disse...

Transparencia é o que esperamos desta nova diretoria eleita.

Anônimo disse...

O NOSSO MIXTO SEM NENHUMA DÚVIDA ESTÁ NECESSITANDO DE DIRIGENTES QUE NOS OFEREÇA CONFIANÇA AOS INÚMEROS TORCEDORES DO CLUBE. POIS OS QUE ANTECEDERAM ESSA DIRETORIA NÃO SENTIMOS CONFIANTES PARA AJUDARMOS FINANCEIRAMENTE.

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!