"Para competir teríamos que ter de R$ 120 a R$ 160 mil por mês", diz presidente do Mixto sobre o Estadual. Tigre busca patrocinadores

Walter Fernandes, presidente em exercício do Mixto

Sem caixa para iniciar o Campeonato Mato-grossense do ano que vem, a diretoria do Tigre de Vargas corre atrás de patrocínio para conseguir montar uma boa equipe de jogadores, além da comissão técnica para tentar conseguir o vigésimo quinto troféu do Estadual Série A. Segundo o presidente do Mixto Esporte Clube, Walter Udson Fernandes, é necessário uma receita de R$ 160 mil mensais para entrar na competição.

“Estamos tendo dificuldades em encontrar esses empresários. Hoje, para competir teríamos que ter uma quantia de R$ 120 a R$ 160 mil mês. Eu acredito que o próximo campeonato será uns do campeonatos mais forte. Os clubes terão que ter um plantel de competição. União, Operário, Nova Mutum e Sinop já estão com vários patrocinadores. O Mixto está na procura até porque em Cuiabá é mais difícil”, reclamou, ao Só Notícias.

O Mixto vai estrear contra o União, em 21 janeiro às 20h10, no estádio Luthero Lopes, em Rondonópolis. Além do Tigre e Colorado  também estão na disputa Araguaia, Cuiabá, Dom Bosco, Luverdense, Nova Mutum, Operário Várzea-grandense, Poconé, Sinop.

O certame de 2020 terá a mesma fórmula deste ano. Chave única com dez times se enfrentando apenas em jogos de ida. Os oito primeiros colocados se classificam as quartas de final, enquanto os dois últimos serão rebaixados.

No mata-mata, as equipes se enfrentam em jogos de ida e volta, incluindo a decisão. O clube de melhor campanha fará a finalíssima em casa. A novidade para a temporada será a disputa de terceiro e quarto lugares, em jogo único na casa do time de melhor campanha na 1ª fase.

Fonte: Só Notícias/David Murba
25/10/2019