Técnico Toninho Pesso e Fause Chauchar (Foto: Otmar de Oliveria/Jornal A Gazeta

Sem conquistar nada na temporada que está se encerrando, o Mixto sofre um duro golpe neste fim de ano. Em reunião realizada no meio de semana, o médico Fause Chauchar renunciou do cargo de presidente do Conselho Gestor, grupo criado por ele com a finalidade de buscar patrocínio e gerir departamento de futebol profissional.

Sob comando de Chauchar, o Alvinegro da Vargas conquistou a Copa FMF do ano passado, conquista que levou o clube a disputar a Copa do Brasil deste ano. Na competição nacional, o time na época comandado por Toninho Pêsso chegou na segunda fase, sendo eliminado pela Chapecoense por 2 a 1, de virada na Arena Pantanal. A participação na Copa do Brasil proporcionou dividendos aos cofres do clube, que abateu parte da dívida trabalhista orçada em mais de R$ 1 milhão.

Fause Chauchar alegou assuntos particulares para se afastar do dia a dia do Mixto. Agora, o Conselho Gestor será tocada pelo ex-presidente do clube Valter Hudson e Arlei Silva. Ambos estão com a incumbência de administrar o ‘Tigre’ da Vargas, visando a próxima temporada. Nos bastidores, é unânime à análise de que o afastamento de Chauchar é duro golpe, já que o médico era um dos principais pilares na busca de patrocinadores.

Na próxima semana, outros conselheiros vão se reunir para articular novo planejamento visando a disputa do Campeonato Mato-grossense. A estreia do time está marcada para o dia 21 de janeiro diante do União de Rondonópolis, jogo marcado para o estádio Luthero Lopes.

Comando técnico

A negociação para que o jogador Dinelson, ex-Corinthians e Atlético Mineiro, se tornasse gerente de futebol do clube em 2020 foi desfeita. Ambas as partes não chegaram a um acordo financeiro para que o atleta viesse a virar dirigente. Com isso, volta-se a estaca zero a busca para a contratação
de um novo treinador. Neste caso, Gianni Freitas volta a ganhar força para continuar seu trabalho, iniciado em setembro para a disputa da Copa FMF.

Mas há conselheiros que defendem a busca de um novo profissional. Nos bastidores, há quem defenda o nome do técnico Éverton Goiano, que já comandou o clube em temporadas passadas. O treinador é visto como o ideal para comandar o Alvinegro da Vargas, que tentará a sua reinserção no cenário nacional em busca de vagas no Campeonato Brasileiro da Série D, Copa do Brasil e Copa Verde.

Confira a carta-renúncia
Fonte: Luiz Esmael/Jornal A Gazeta