"chega de amadorismo", técnico do Mixto diz que saída de El Lobo foi por indisciplina. Confira entrevista

Pedro Lima/Olhar Esportivo


Em meio a uma turbulência que se passa no Mixto, por conta de ter sido empurrado para a zona do rebaixamento do Estadual 2020 com a vitória do Luverdense no último fim de semana, o técnico Carlinhos Alves explica a situação da saída do atacante Magno, que segundo o empresário do atleta, pediu dispensa alegando descontentamento com o novo comandante.

Focado em buscar um resultado positivo no clássico contra o Dom Bosco e dizendo ter um grupo unido sob seu comando, o técnico do Mixto, Carlinhos Alves, afirmou à reportagem do Olhar Esportivo, que o atacante ‘El Lobo’ saiu do clube por ter um ato de indisciplina.

“Quem tem boca fala o que quer, mas acho que precisa medir melhor as palavras. São coisas que não são verdadeiras, cheguei aqui há dois dias do jogo e coloquei o atleta para jogar, pelas informações que eu tive. Eu esperava um pouco mais dele dentro do jogo, não só dele, mas de outros atletas. Tivemos a semana passada inteira para trabalhar, e no sábado, ele não foi trabalhar. Alegou problemas no estômago, mas eu descobri que não era bem isso, que era outra situação”, rebateu o técnico.

Experiente e vindo do futebol paulista, Carlinhos Alves, 51 anos, relembrou o que disse na sua chegada ao Alvinegro, na busca por melhorias no profissionalismo do elenco.

“Logo quando eu cheguei, falei que vai trabalhar comigo quem for profissional, chega de amadorismo. Muitos atletas passam pelo clube, o clube fica, então a gente tem que respeitar onde estamos trabalhando. É fácil as pessoas falarem o que querem, mas eles próprios não assumem as responsabilidades. Jogador que não for profissional, não trabalha comigo. Passei a situação para a diretoria e a atitude teve que ser tomada, não só ele, mas qualquer um que fizer isso. Eu não vim para cá para brincar, eu vim parar tirar o Mixto dessa situação. É fácil jogar a responsabilidade para cima de mim, e tirar a responsabilidade do atleta, mas ele saiu por um ato de indisciplina dele. Temos um desafio grande, estamos em momento decisivo, nós temos que pensar nos atletas que estão trabalhando firmes e fortes, esses que já saíram ficaram no passado, cada um que assuma sua responsabilidade.”

O técnico do Tigre da Vargas frisou a importância, tanto do treinador, como dos atletas, em se dedicarem ao máximo para deixarem suas marcas positivas no clube. Além disso, disse que a diretoria está dando suporte, dentro da realidade, para que a situação melhore no campeonato mato-grossense.

“Vamos valorizar o dia a dia para tentar tirar o Mixto desta situação. Antes estava muito à vontade aqui, mas fizemos algumas mudanças positivas para a instituição. Amanhã eu não estou mais aqui, atletas não estão mais aqui, mas temos que deixar um legado no clube. Estamos tentando consertar umas situações, de acordo com as condições, a diretoria está tentando dar o maior suporte possível. Sabemos que o futebol não está fácil, quem não se enquadrar, estará fora”, completou Carlinhos.

Com quatro pontos na nona colocação do Campenato Mato-grossense, o Mixto faz clássico contra o Dom Bosco, que tem oito, em sexto. O duelo será neste domingo (01/03), a partir das 15 horas, na Arena Pantanal.

Nas duas últimas rodadas da primeira fase, o Alvinegro enfrentará o Poconé, na Arena Pantanal, e o Luverdense, no estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde.

Foto: Gil Gomes/Assessoria Mixto EC

Postar um comentário

0 Comentários