"O Gianni Freitas nos deixou na mão", diz dirigente do Mixto. Técnico nega culpa no rebaixamento e lamenta situação

Luiz Esmael/Jornal A Gazeta

Técnico Gianni Freitas

O rebaixamento do Mixto para a Segunda Divisão do próximo ano sobrou até para o técnico Gianni
Freitas, que deixou o comando técnico da equipe ainda na primeira rodada do Campeonato Mato-grossense após derrota de 2 a 0 para o União de Rondonópolis, no estádio Luthero Lopes. Alguns membros do Conselho Gestor do clube, presidido por Valter Hudson, fazem questão de colocar na conta de Freitas a queda do Alvinegro. Para eles, o treinador abandonou o barco a deriva. O acordo
era para que ele iniciasse e terminasse a disputa do Estadual no comando do time.

“O Gianni Freitas nos deixou na mão. Assim que perdeu o primeiro jogo na largada do Estadual nos deixou”, disse o dirigente, que prefere não ter seu nome revelado para não criar atritos com
os demais conselheiros.

Outra queixa dos dirigentes em relação ao trabalho de Giani é método do treinador, conhecido por
ser muito enérgico com o elenco de jogadores. “Muitos jogadores não gostam da maneira do Giani trabalhar”, complementa.

Procurado pela reportagem do jornal A Gazeta, Giani Freitas afirmou só lamentar a acusação contra
seu trabalho. Segundo ele, a diretoria sob comando de Valter Hudson prometeu contratar reforços pontuais, contudo, não atendeu suas reivindicações.

“Só tenho a lamentar o que a diretoria do Mixto quer me culpar. Deixei o time na primeira rodada
do Estadual. O clube teve mais oito rodadas para se reabilitar e não se reabilitou. Deu no que deu. Só
lamento”, finalizou o treinador, que reclama de salários atrasados.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. PQP, chega de ficarem dando audiência para essa imprensa local.

    ResponderExcluir