Grupo de investidores teria como foco categoria de base e estaria avaliando arrendar CT que fica em Várzea Grande

1
Luiz Esmael/Jornal A Gazeta

Em campo, Mixto aguarda se rebaixamento à Segunda Divisão do Mato-grossense será mantida. (Foto: Otmar de Oliveira/Jornal A Gazeta)

A notícia de que um grupo de empresários do Rio de Janeiro virá a Cuiabá para fazer uma proposta para "terceirizar" o Mixto Esporte Clube, ainda não se confirmou e o Conselho Deliberativo está com um pé atrás sobre a negociação. Segundo um ‘emissário’ de um suposto grupo empresarial, ‘há o interesse de se investir um montante de R$ 5 milhões para um período de cinco anos’.

Desde semana passada já há uma movimentação nos bastidores do Alvinegro nesse sentido. Segundo informações não confirmadas pela diretoria, empresários estão dispostos a investir no clube. A proposta, segundo o ‘emissário’ que prefere não se identificar, seria destinar parte dos R$ 5 milhões na quitação das dívidas trabalhistas do clube, avaliadas em cerca de R$ 3 milhões. O montante é o principal empecilho que impede o crescimento do clube, que no Campeonato Mato-grossense deste ano foi rebaixado pra a Segunda Divisão do Estadual da próxima temporada.

A Gazeta apurou que o interesse maior do grupo interessado em bancar o Mixto é revelar novos talentos e faturar com a negociação. Uma das propostas inclusive prevê o arrendamento de um Centro de Treinamento na cidade vizinha de Várzea Grande. Esta proposta é totalmente oposta a dos irmãos Paes de Barros, que estão construindo com recursos próprios, um CT no Pedra 90 para ser cedido ao clube.

Há um interesse do grupo de empresários em apostar nas novas revelações do futebol de Mato Grosso. Além de revelar novos jogadores, o interesse também está na ascensão do Alvinegro no cenário nacional. “Em cinco anos, queremos colocar o Mixto na Série B do Brasileiro”, disse o emissário.

Um comentário:

  1. Os interesses de grupos querendo ganhar dinheiro com revelação de talentos acontece no Brasil todo, com o país fornecendo mão de obra barata para os grandes clubes do Rio e SP. O que queremos saber qual é o interesse de alguns jornalistas do esporte da Gazeta em sempre produzir informações desfavoráveis ao Mixto. Por que será que a Record não leva esses talentosos jornalistas revelados em Cuiabá para a central em São Paulo?? Jornalismo de segunda divisão também??

    ResponderExcluir