Após eleito, Vinícius fala em recuperação do orgulho mixtense e reorganização administrativa, jurídica e comercial. Márcio pede união e destaca categoria de base

Por: Pedro Lima/Olhar Esportivo

Presidente Vinicius Falcão
Presidente Vinícius Falcão (Foto: Gil Gomes/Assessoria Mixto EC)

Por unanimidade dos votos, a nova presidência do Mixto Esporte Clube foi eleita na manhã deste sábado (18). Foram 36 votos registrados dos 42 sócios aptos, todos a favor. A Assembleia Geral Extraordinária ocorreu no auditório do Sindicato Rural de Cuiabá.

Após a inscrição na semana passada, foi aprovada a chapa única “Orgulho e Tradição Mixtense”, composta pelo presidente Vinícius de Arruda Falcão, e os vice-presidentes Márcio Alencar (administrativo) e Fause Chauchar (financeiro). O novo Conselho Gestor tem o mandato até agosto de 2022.

O trio de doutores, um advogado e dois médicos, já fazia um trabalho voluntário junto ao clube, na parte jurídica e administrativa. Porém, agora terão autonomia para reorganizarem um plano conjunto para o futuro do Alvinegro da Vargas.

“A ideia é tentar ao máximo organizar administrativamente o clube, desde a parte jurídica até o comercial. Buscar reestruturar toda a utilização da marca Mixto, com vários terceiros que existem. A ideia não é barrar ninguém de utilizar, a ideia é que essas pessoas se legalizem, abram CNPJ, contrato com cláusulas, com condições, obrigações e direitos. A partir da semana que vem, certamente faremos um edital de convocação, suspendendo todas essas autorizações das marcas, para refazer os contratos existentes, ou se não tiver contrato, para serem realizados. Chamar eles para participar junto do comercial, com projetos de marketing, amplo, que englobe todos os setores, principalmente o futebol profissional”, disse o novo presidente do Mixto, Dr. Vinícius Falcão, ao Olhar Esportivo.

Vinícius citou os desafios que o Conselho Gestor eleito terá que enfrentar. O principal deles é resgatar o orgulho do torcedor do Mixto, que é um time tradicionalmente conhecido por uma torcida ativa, além de ser o time com mais títulos do Campeonato Mato-grossense. Diante de muitos anos sem conquistas relevantes, isso acabou afastando a torcida em grande número dos estádios.

“Um dos desafios que teremos é tentar recuperar o orgulho de ser mixtense. Esse é o maior desafio dessa chapa eleita. Sabemos que é difícil, hoje o clube não tem quase nenhuma renda, então precisamos reinventar, que a torcida apoie, venha participar e assim a gente tenha recurso. Uma vez que tem que pagar dívidas passadas, fica bem complicado o planejamento, mas junto com o Márcio e com o Fause, dois excelentes profissionais, de muita credibilidade no mercado, acredito que possamos conseguir fazer um projeto com bastante resultado para o clube”, enfatizou o presidente eleito.

União, planejamento e categoria de base


De acordo com o vice-presidente administrativo, Márcio Alencar, a união dos membros poderá fazer a diferença para o futuro. Um dos intuitos é reestruturar as categorias de base, formar atletas profissionais e gerar recurso ao clube. Além disso, Alencar citou que com o Mixto evoluindo em termos financeiros, os ex-colaboradores e ex-jogadores que possuem ações judiciais, poderão ter mais viabilidade em receber seus acertos.

“As pessoas que gostam do Mixto têm que se juntar e correr todos para o mesmo lado, aí começa a ter mais consistência de certa forma. Queremos reestruturar a base, formar jogador aqui, o que gera economia e possíveis recursos ao clube. Um trabalho continuado, criar o atleta profissional, começar a ser revelador. É claro que precisaremos contratar alguns jogadores para competições no futuro, mas isso terá que ser respaldado através de conhecimento, não trazer por trazer. O nosso papel é viabilizar aquilo que a gente planejar, não adianta ficar sentado recebendo vídeos de empresários e jogadores, vamos estar atentos a isso, para não ter gastos desnecessários e buscar recursos, até mesmo para reerguer, para sanar as dívidas trabalhistas do clube. Quem cobra o Mixto tem que entender que só vai conseguir receber, efetivamente, quando o Mixto se recuperar, conseguir os próprios recursos, através da Time Mania, da negociação de jogadores da casa, conquistas e demais opções”, completou o vice-presidente administrativo ao Olhar Esportivo.

Neste ano, o Mixto foi rebaixado ficando em nono colocado da primeira fase do Campeonato Mato-grossense. A equipe tem a Copa FMF e as competições de base em 2020, porém, que ainda são incertas. No ano que vem, o Alvinegro irá disputar a Segundona, caso não haja nenhuma reviravolta.

Márcio Alencar, vice-presidente administrativo

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Doutor Vinicius, parabéns e sucesso a toda a diretoria. A torcida do Mixto aguarda o clube investir numa loja, para entrar renda nesse clube e a torcida ainda precisa ter uma referência onde comprar produtos da marca Mixto e reforçar o vínculo com o clube.

    ResponderExcluir