Conluio? FMF muda versão sobre reunião na qual Mixto sofreu boicote e diz que não foi decidido retorno do Estadual

2
Editorial MixtoNet

Após questionamentos do Mixto Esporte Clube sobre a reunião realizada pela FMF, no dia 23 de junho, a Federação mudou de versão sobre o caráter do evento e contrariou o que ela mesma havia divulgado. A diretoria do Alvinegro protocolou um requerimento solicitando a ata da fatídica videoconferência na qual o Mixto e o Araguaia foram excluídos (analisamos a questão no editorial "FMF boicota o Mixto e faz reunião seletiva", clique: https://is.gd/LzoNmr).

A assessoria da Federação divulgou para toda a imprensa que a citada plenária virtual havia deliberado sobre o retorno do Campeonato Estadual:

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira (23), por videoconferência, os clubes que estão nas quartas de finais do Campeonato Mato-grossense Martinello Sicredi 2020 decidiram, de forma unânime, pela retomada e finalização da competição, em data ainda a ser remarcada.

A nota oficial se encontra publicada no site da entidade (veja no link: https://is.gd/24muAx).

Através de seu perfil no Facebook, Aron Dresh também comemorou o que ele mesmo chamou de "primeira reunião on-line da história desta instituição chamada Federação Mato-grossense de Futebol" (veja no link: https://is.gd/vA3Sj9). Ou seja, uma atividade institucional. 

No entanto, no ofício em resposta à indagação do Tigre, a FMF entra em contradição e afirma o contrário, diz que nada foi decidido na reunião, inclusive o possível retorno do Campeonato Mato-grossense:

O encontro mencionado não passou de simples reunião, sem qualquer caráter deliberativo, decisório ou vinculativo. (...) Não foram apresentadas propostas ou deliberações que ensejassem qualquer votação. Por esta razão, ao contrário do que Vossa Senhoria incorretamente afirma, não “foi decidido continuar o campeonato“. (...) Convém ressaltar que nenhuma decisão acerca do retorno ou não do campeonato fora exarada por esta Presidência.

No Ofício n.º 19/2020 em resposta ao Mixto, a Federação afirma ainda que a teleconferência nem ata teve. Sendo, portanto, uma conversa informal com convidados selecionados.

Se tratando de mero encontro para discussão de possibilidade, sem qualquer caráter deliberativo, decisório ou vinculativo, sequer restou elaborada ata de reunião

Com os fatos colocados, alguns questionamentos ficam no ar. Por que a FMF mudou o caráter da reunião após indagações do Mixto? Se não era uma reunião oficial, qual o interesse em difundir para imprensa que o encontro havia deliberado o retorno do Estadual? E, por fim, se não era uma reunião oficial, então era um conluio? 

Nota oficial da reunião do dia 23. Mixto e Araguaia não foram convidados, Operário não participou
Trecho do Ofício da FMF em resposta aos questionamentos do Mixto

2 comentários:

  1. O presidente da FMF é dono do Cuiabá, que faz parte do grupo Drebor, que tem como uma das poucas coisas pra vender um lubrificante chamado Raytak. Pode isto, um clube de futebol ser patrocinador da TV local e o dono do clube ser também o presidente da federação??? Por que a imprensa local não questiona isto jornalisticamente como se faz na imprensa de qualquer capital decente? Esses jornalismo do esporte local da TVCA parece assessoria de imprensa do Cuiabá, um horror jornalístico.

    ResponderExcluir