Jogo entre Sampaio Corrêa e Mixto participará da Loteria Esportiva (Loteca) Nº 525


Você se lembra quando foi a última vez que um clube de Mato Grosso foi inserido num concurso daLoteria Esportiva? Nem os dirigentes alvinegros se recordam. Pois bem: domingo (26) quando Sampaio Corrêa e Mixto entrarem em campo pela Série D do Campeonato Brasileiro, os dois clubes estarão fazendo parte dos sonhos de milhões de brasileiros que ainda apostam na famosa ‘loteca’. O jogo integra o concurso 525 e ocupa a posição número cinco no quadro de 14 jogos, ao lado de clássicos como Vasco x Fluminense, Corinthians x São Paulo, Cruzeiro x Atlético, Paraná x Atlético, Palmeiras x Santos, Inter x Grêmio e Botafogo x Flamengo.

Com o passar dos anos, a loteca que já foi a maior loteria do País perdeu espaço para as milionárias Mega-Sena e ‘raspadinhas’ que se espalharam pelos estados, e os clubes também, bem como seus lucros com a inserção.

Loteria não anima os clubes

De acordo com a Caixa Econômica Federal, cada clube recebe um percentual correspondente a apenas 10% do valor das apostas que é rateado entre os 28 integrantes do concurso. A informação consta na circular número 132 de 11 de maio de 1998. Segundo ainda a Caixa, da arrecadação bruta serão destinados os percentuais de 7,00% para a Seguridade Social, 4,50% para o Programa de Crédito Educativo, 3,00% para o Fundo Penitenciário Nacional - FUNPEN, 10,50% para o Instituto Nacional do Desenvolvimento do Desporto e 20,00% para o pagamento das despesas de custeio e de manutenção dos serviços. 

Com uma folha de pagamento de R$ 150 mil, certamente o Mixto não deverá receber nem 10% desse valor com a loteria.

Segundo a Caixa, na medida em que a cada R$ 1,00 apostado, R$ 0,48 são transferidos para os ministérios beneficiários e projetos sociais. As loterias federais repassam recursos para seguimentos prioritários como educação, esporte, cultura, seguridade social, segurança pública e a saúde. Em 2010, quase R$ 3,4 bilhões tiveram essa destinação.

O esporte nacional recebeu R$ 538 milhões, que foram destinados ao Ministério do Esporte e aos Comitês Olímpico e Paraolímpico Brasileiros. A Seguridade Social recebeu R$ 1,49 bilhão para suprir benefícios previdenciários aos cidadãos. O Programa de Financiamento Estudantil (FIES) recebeu R$ 793 milhões. Ao Fundo Nacional de Cultura foi enviado R$ 249 milhões. O Fundo Penitenciário Nacional (FPN) recebeu R$ 264 milhões.

Fonte: Oliveira Júnior / Jornal A Gazeta
22/08/2012