6.1.15

Presidente do Mixto fala sobre trabalho para recuperar a credibilidade do clube


Diretor de Futebol Luiz Matos e o presidente Paulo César Gatão
“Matando três leões por dia”. Assim o presidente do Mixto, Paulo César Gatão, definiu o ritmo de trabalho da nova diretoria do clube. O desafio é superar “o descrédito e a falta de credibilidade” que as gestões anteriores deixaram, segundo o dirigente. Mesmo sem fechar oficialmente nenhum grande patrocínio, o Alvinegro formou um elenco e uma comissão técnica, que começaram a trabalhar nesta segunda-feira visando o Campeonato Mato-grossense.

- As pessoas, os empresários e empresas que procuramos não entendem que não temos nada a ver com as administrações anteriores. Deixaram uma imagem muito ruim do clube, um descrédito grande, uma enorme falta de credibilidade, que está difícil de superar – lamentou o dirigente.

Gatão, no entanto, diz não se entregar e nem perder a confiança:

– Estamos trabalhando muito, junto com muitos voluntários, mixtenses apaixonados. Temos muitas promessas, muita negociação encaminhada, mas nada fechado, muitas incertezas ainda. Só que estamos correndo atrás destas soluções. No começo de fevereiro já tem uma folha para pagar, sabemos disso. Precisamos muito da ajuda e da confiança dos mixtenses, dos investidores.

A Tubarão, fornecedora de materiais esportivos, é a única certeza por enquanto no Mixto. “Acreditou em nós e está sendo muito importante, fornecendo o material esportivo e ainda montando uma loja para o Mixto, com um percentual do que for vendido vindo para o clube”, destacou o dirigente, citando ainda a ajuda do advogado Ademar Vilarindo, “que de forma voluntária está nos ajudando muito nesta questão das dívidas trabalhistas, estamos fazendo um levantamento detalhado e após o recesso judiciário vamos renegociar tudo”.

O técnico Márcio Marolla começa a preparação para o Estadual com uma perspectiva de contar com “15 jogadores de fora, cinco emprestados pelo Dom Bosco e de cinco a sete da base”, segundo Gatão.

Craques do Rádio - Foto: Fábio Ramirez / Mixtonet
06/01/2014

1 comentários :

Anônimo disse...

Não há dúvida nenhuma que a responsável pelo atual patamar que o MIXTO se encontra e a AFAM. Anteriormente o MIXTO estava disputando a série C do brasileirão e sua dívida era de valor irrisório, se comparado com a atual situação. Cabe à atual direção mostrar quais foram as pessoas físicas que deixaram o barco à deriva em alto mar. Confio nessa diretoria, pois parece que os mesmos não estão à procura de promoção pessoal. Espero que os dirigentes da BOCA SUJA mudem de opinião e dê uma força para a atual diretoria, eles merecem seus votos de confiança, afinal estamos todos no mesmo barco. PAULO SERGIO CUNHA - JD. LEBLON - CUIABÁ-MT

Postar um comentário

Atenção: comentários anônimos não serão aceitos. Identifique-se!