Com a conquista da Copa Verde 2019, o Cuiabá EC ganhou direito de entrar diretamente nas oitavas de finais da Copa do Brasil 2020 - vaga destinada ao campeão do torneiro que envolve equipes do norte e centro-oeste, além de convidados. Com a nova situação, abre-se mais uma vaga para Mato Grosso na Copa do Brasil 2020, a vaga que era do Dourado, por ter sido campeão estadual neste ano.

Mato Grosso tinha direito a três vagas na Copa do Brasil 2020, sendo duas destinadas ao campeão e vice-campeão do Mato-grossense e uma ao campeão da Copa FMF. Com a conquista do Cuiabá, abriu-se uma quarta vaga.

No regulamento da Copa do Brasil, é previsto da seguinte forma o preenchimento das vagas:

Art. 2º - Critério 3
§ 3º - Para identificação do grupo dos 70 clubes, objeto do critério 2, deverá ser necessariamente obedecida a seguinte sequência de chamadas dos clubes:
1ª chamada: os clubes campeões de cada campeonato estadual/Distrito Federal (vaga nº 1);
2ª chamada: os clubes vice-campeões de cada campeonato estadual/Distrito Federal dentre os estados posicionados de 1 a 22 no RNF (vaga nº 2);
3ª chamada: os clubes classificados em terceiro lugar nos campeonatos estaduais/Distrito Federal dentre os estados posicionados de 1 a 14 no RNF (vaga nº 3);
§ 4º - Nos estados/Distrito Federal que tenham direito a duas vagas, a segunda vaga do estado poderá ser concedida, a critério da Federação local, a clube vencedor de um torneio seletivo ou equivalente promovido com tal finalidade pela Federação, respeitada a sequência das chamadas do parágrafo 3º deste artigo.
§ 5º - Nos estados/Distrito Federal que tenham direito a três ou mais vagas, as duas últimas vagas de cada estado poderão ser concedidas, a critério da Federação local, a clubes vencedores de torneio seletivo ou equivalente promovidos com tal finalidade pela Federação, respeitada a sequência das chamadas do parágrafo 3º deste artigo.” (Regulamento da Copa do Brasil – CBF)

Ou seja, com o Cuiabá ganhando a vaga pelo primeiro critério (Art. 2º - Critério 1: Copa Verde) e assim abrindo uma vaga no Estadual, deve-se subir o próximo, que seria um terceiro colocado, como prevê a “3ª chamada”, se houvesse. A questão é justamente essa, pela norma estabelecida no Mato-grossense, não há um terceiro colocado.

No regulamento do Campeonato Mato-grossense 2019 é estabelecido que a competição é composta por quatro fases e que em todas elas os clubes iniciam com pontuação zerada.

"Art.10 - O Campeonato será disputado em 04 (quatro) fases;
Parágrafo Único - Em todas as Fases as Associações começarão com zero (0) ponto." (Regulamento do Campeonato Mato-grossense 1ª Divisão 2019 - FMF)

Portanto, o União não pode ser o terceiro colocado do Mato-grossense 2019 pela somatória geral dos pontos. Nem pela somatória dos pontos somente na fase de semifinais, pois a única hipótese de haver um terceiro colocado seria na disputa direta entre os dois times eliminados na semifinal, hipótese prevista no regimento somente em caso de disputa de vaga para a Série D, o que não ocorreu.

"Art. 17 - Em paralelo a Quarta Fase (final), haverá a disputa de 3º e 4º lugares do Campeonato, entre as eliminadas na Segunda Fase (Semifinal), em jogos de "ida" e "volta".
§2º - Acontecerá a disputa entre 3º e 4º colocados, caso seja decidida uma vaga para o Campeonato Brasileiro da Série D." (Regulamento do Campeonato Mato-grossense 1ª Divisão 2019 - FMF)

Como está estabelecido que as demais vagas devem ser destinadas pelo Estadual, além da vaga destina em torneio seletivo (Copa FMF), e como não há um terceiro colocado no Estadual, a vaga aberta pelo Cuiabá deve ser ocupada pelo Luverdense com o critério do ranking da CBF.

Ranking Nacional de Clubes – CBF
30º Luverdense - 4.402 pontos
47º Cuiabá - 2.699 pontos
89º Sinop – 787 pontos
137º Dom Bosco – 405 pontos
154º Operário Várzea-grandense – 290 pontos
158º União – 279 pontos

Ou seja, pelo estabelecido no conjunto dos regimentos do Campeonato Mato-grossense 2019, Copa FMF 2019 e Copa do Brasil CBF, o novo mapa das vagas fica assim:

1. O Cuiabá entra pela vaga destinada ao campeão da Copa Verde;
2. O Operário Várzea-grandense por ter sido vice-campeão mato-grossense;
3. O Luverdense (que havia conquistado a vaga por ter sido campeão da Copa FMF) passa a ocupar a segunda vaga reservada ao Campeonato Mato-grossense (pois tem melhor ranking na CBF);
4. Fica restando a vaga da Copa FMF – torneio criado para este fim. A vaga deve ser ocupada pelo Mixto, que terminou a competição em terceiro lugar (sendo que o primeiro foi o Luverdense e o segundo o Cuiabá, ambos já com vaga).

Diferentemente do regulamento do Mato-grossense, que diz expressamente que só pode haver terceiro colocado em caso de disputa entre os eliminados da semifinal (não cabe exceções ao que está escrito), no regimento da Copa FMF nada consta em relação a disputa de terceiro colocado, valendo, por conseguinte, os pontos somados na fase final, com prevê o Regulamento Geral das Competições CBF.  Assim sendo, o Mixto é o terceiro por ter somado 3 pontos na Segunda Fase (1 vitória e 1 derrota diante do Luverdense) e o União o quarto por ter somado 2 pontos na Segunda Fase (2 empates com o Cuiabá).

Vale ressaltar que “nos estados que tenham direito a três ou mais vagas, as duas últimas vagas de cada estado poderão ser concedidas, a critério da Federação local”. Com a voz e vez o presidente Aron Dresh.

É de se estranhar o lobby feito pela equipe do União, que chegou de anunciar na imprensa que a vaga seria de sua agremiação. Mas, os regimentos devem ser seguidos. O pronunciamento da Federação Matogrossense de Futebol, por meio de seu presidente Dresh, deve ser urgente confirmando as equipes para evitar que burburinhos se propaguem. Ainda mais neste momento em que o União acaba de pedir adiamento do processo contra o presidente Aron no Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso.

Referências:
- Regulamento Geral das Competições – 2019: https://conteudo.cbf.com.br/cdn/201812/20181211073907_874.pdf