Com contrato de direitos econômicos, Mixto notifica volta de Cleberson Tiarinha para o Estadual

Pedro Lima/Olhar Esportivo

Alvinegro e jogador assinaram contrato de cessão em setembro de 2019, que liberou Tiarinha exclusivamente para jogar na Ásia, porém, com condição de prioridade ao Mixto em retorno para o Brasil; Atleta treina no Villa Nova-MG

Tiarinha no Mixto em 2019
Tiarinha no Mixto em 2019. Foto: Assessoria Mixto EC

Baseado em um contrato particular de parceria sobre os direitos econômicos do jogador Cleberson Tiarinha, o Mixto Esporte Clube busca repatriar o atacante para a disputa do Campeonato Matogrossense 2020. A informação foi apurada e confirmada em primeira mão pelo site Olhar Esportivo, que acompanha de perto os bastidores do futebol regional.

Cleberson passou pelo Alvinegro na primeira fase da Copa FMF, onde marcou três gols em três jogos, sendo transferido durante a competição para jogar em Omã no mês de setembro de 2019. Porém, no contrato de cessão, em que liberou o jogador para atuar no país asiático, o Mixto aceitou a rescisão com uma condição, ter a prioridade em um possível retorno ao Brasil.

Acontece que, o atacante Cleberson Tiarinha está em treinamento para a disputa do Campeonato Mineiro pelo Villa Nova de Nova Lima, equipe da região metropolitana de Belo Horizonte, que está no Módulo I, ao lado dos principais times do estado, como Atlético, Cruzeiro, América, Boa Esporte, Tombense, entre outros.

De acordo com o setor jurídico mixtense, através do advogado Dr. Vinicius Falcão de Arruda, a diretoria do Tigre da Vargas notificou extrajudicialmente, Cleberson e o seu empresário. A ideia é fazer um acordo, com a preferência de jogar pelo Mixto e cumprimento do contrato, sendo isentado de uma ação judicial.

“Liberamos o Cleberson sob condição. Ele saiu antes de cumprir seu contrato sem ônus, mas em caso de retorno ao Brasil, que a preferência seja do Mixto. A ordem é entrar inclusive judicialmente cobrando perdas e danos, pois estávamos no meio da competição, com chances de conseguir a vaga da Copa do Brasil 2020, principalmente com ele, que é um jogador diferenciado. Ele é uma pessoa espetacular, fico a disposição para entrarmos em um consenso amigavelmente”, disse o Dr. Vinicius Falcão à reportagem exclusiva do site Olhar Esportivo.

Segundo o advogado mixtense, a multa de rescisão contratual tem o valor de um milhão de reais junto à CBF, sendo de obrigação do atleta, ou no caso de destino a outro clube, este torna se solidário no pagamento da multa, de 5% do valor, sendo R$ 50 mil. Caso não haja um acordo, os valores podem subir na justiça, com a cobrança de perdas e danos.