FMF boicota o Mixto e faz reunião seletiva

Fábio Ramirez/MixtoNet

videoconferência da FMF
Captura de tela da videoconferência da FMF sem a presença do Mixto, Araguaia e do Operário

O presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Sr. Aron Dresch, convocou alguns clubes para uma reunião por videoconferência na terça-feira (23). No entanto, o mandatário do futebol regional não convidou o Mixto Esporte Clube.

A agremiação alvinegra não recebeu nenhum comunicado oficial explicando a razão porque não participaria da seleta atividade. Notícias veiculadas pela imprensa, apresentaram o argumento de que a teleconferência era apenas para as equipes classificadas para a segunda fase do Campeonato Mato-grossense. Entretanto, o Clube Operário Várzea-grandense não compareceu à atividade. 

A FMF tem recebido críticas por uma suposta incapacidade em encontrar soluções diante da crise da Covid-19. A entidade, inclusive, age de forma desconcertada frente algumas opiniões.

Há alguns dias, o médico e conselheiro mixtense Márcio Alencar publicou um artigo de opinião apresentando desafios a serem superados pela federação (leia: https://is.gd/4tOC6D). No entanto, o Coordenador de Marketing e Relações Institucionais da FMF, confundindo o que é expressão individual com posicionamento institucional, proferiu duros ataques à entidade Mixto EC (leia: https://is.gd/JtSX9B/0). A descabida reação, levou ao estranho episódio de um filiado tendo que se defender de sua própria associação (leia: https://is.gd/oHOIWR).

A sequência de acontecimentos leva a crer uma possível retaliação ao Alvinegro, time de maior tradição em Mato Grosso e filiado à federação mato-grossense desde sua fundação. 

Apesar de ter sido a primeira reunião online da história da instituição, nada de concreto foi encaminhado. Apenas um suposto acordo de que o Campeonato Mato-grossense 2020 seja retomado, mas sem confirmação de datas e condições. Ventila-se também a ideia de cancelamento da Copa FMF 2020 e incorporação da vaga na Copa do Brasil no prometido retorno do Estadual, tirando, assim, a chance do Mixto almejar a posição.

O Tigre mantém em dia suas obrigações enquanto agremiação filiada à FMF. O princípio da Isonomia, assegurado pela Constituição, garante igualdade nas relações institucionais. Além do estatuto social da FMF que o Alvinegro faz parte. De acordo com o regulamento aprovado em Assembleia Geral, o campeonato estadual ainda não terminou. Com essas considerações, a pergunta que fica é: por qual razão se deu a supressão do Mixto na reunião?

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Tem um clube do Estado de SP A2 ou A3 já disse que, se for rebaixado vai entrar com recursos alegando que, vem cumprindo com as obrigaçoes que, são impostas pela FPF e Lei do Profut, também está desclassificado se o campeonato de 2020 voltar novamente.

    ResponderExcluir
  2. Ramirez, antes de publicar qualquer coisa, apague o que não interessa. Publicar logo do clube gauchíssimo no site da torcida do Mixto, isto não...

    ResponderExcluir