segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

"Oposição" pode apresentar chapa na eleição de hoje. Riva defende nome de Craici

0
A chamada "oposição" a atual gestão do Mixto deve apresentar uma chapa pronta na noite de hoje para concorrer a eleição no clube, marcada para às 19 horas, no auditório no ginásio Aecim Tocantins. Desta vez, apenas os conselheiros devem ter acesso ao local e os torcedores não poderão se manifestar.

A articulação da nova chapa foi feita pelo radialista Rosenil Luiz, que pretendia apresentar o nome do empresário Hamed Leite Mussa, proprietário de um posto de combustível em Cuiabá. Mas essa tentativa parece que também não deu certo. "Eu não tenho como presidir o Mixto; estamos prontos para ajudar, mas não como presidente", descartou Hamed, na tarde de ontem".

Enquanto o presidente do Conselho Deliberativo do clube, Hélio Machado, quebrava a cabeça em busca de um nome para suceder Márcio Pardal, o ex-presidente Fabinho Pinto comanda o que sobrou do time, num amistoso, ontem a tarde na cidade Alto Paraguai.

Alheio a mobilização da oposição, Fabinho é um dos nomes que conta com a simpatia do conselho, mas não de patrocinadores. Uma das empresas que já demonstraram interesse em bancar o clube, querem um nome de peso na presidência e no comando técnico. Caso Fabinho seja presidente, o técnico será Arildo Berdun; mas, se outra diretoria for eleita nesta segunda-feira, nem Orlando Craici estará presente.

A semana foi tensa, afinal, depois de duas tentativas frustradas, ninguém se apresentou para assumir o clube, e, motivou para a negativa não faltam: "O Mixto tem cerca de R$ 300 mil em dívidas trabalhistas e deve três folhas aos jogadores e a comissão técnica; quem assumir terá esse ônus de cara", alertava Hélio Machado.

Além de pagar as dívidas contraídas pela Afam, o novo presidente terá uma missão espinhosa; pela ordem, ser campeão estadual, disputar a Série D em 2011, ser campeão ou vice e subir para a Série C e, quem sabe, até 2014, estar entre os 20 melhores clubes do País, na Segunda Divisão. Esse era o projeto da Afam, que no entanto esbarrou no desperdício de dinheiro e na falta de conhecimento sobre futebol de seus integrantes.

Em entrevista exclusiva, publicada na edição e ontem de A Gazeta, Eder Moraes garantiu que vai manter o repasse de R$ 100 mil mensais ao clube na temporada 2011, mas também avisou que vai fechar a Afam. A associação criada em 2009, com o objetivo de reconduzir o clube á elite do futebol brasileiro, gastou R$ 5 milhões em dois anos e meio, e nada conquistou.

O certo é que a nova diretoria a ser eleita nesta segunda-feira, independente dos nomes que sejam escolhidos, assume o clube com uma mentalidade totalmente diferente. Hélio Machado defende a valorização das divisões de base e a formação de uma equipe competitiva, mas sem os desperdícios dos antecessores; quem sabe Hélio Machado não seja convencido a assumir, afinal, antes da eleição que acontece a noite, ele se reunirá pela manhã com o deputado estadual José Riva.

Fonte: Oliveira Júnior/A Gazeta


Para Riva, Craici é o melhor nome
O deputado estadual José Riva foi quem conduziu
a escolha de Márcio Pardal a presidência do Mixto
e deve indicar também o sucessor
Reclamando da “desorganização e falta de mobilização” dos responsáveis diretos pela escolha do presidente do Mixto, o deputado José Riva disse nesta segunda-feira que considera Orlando Craici o melhor nome para assumir o clube. O parlamentar, membro do Conselho Deliberativo, disse que deve estar presente na reunião desta noite e afirmou que até agora só foi procurado por Craici para falar da eleição.

Eles são muito desorganizados, não fui comunicado oficialmente sobre a primeira convocação da eleição e nem fui procurado pelo comando do Conselho para falar sobre este processo de escolha do novo presidente”, disse Riva. Para ele, a escolha deve ser feita “com calma”.

"Defendo que o Márcio (Pardal) continue por mais um tempo até que a situação esteja resolvida, mas precisamos escolher alguém que seja realmente mixtense, que goste do Mixto, que vista a camisa e que possa se dedicar ao clube".

E a pessoa com tais credenciais, segundo ele, é o empresário Orlando Craici – presidente campeão estadual com o Alvinegro em 1988, 1989 e 1996. “Conversei com ele sobre isso, defendo seu nome para a presidência, mas não vou impor nem indicar ninguém. Sugiro o nome do Craici”, explicou.

Sobre as declarações de Pardal, que não deseja mais continuar na presidência, Riva disse entender: “é realmente muito espinhoso; você se dedica, trabalha, muitas vezes tira dinheiro do bolso e ainda é xingado, criticado. Não é fácil”.

Fonte: Davi Cézar/Craques do Rádio
20/12/2010
Author Image
Publicado por: Fábio Ramirez

O MixtoNet é um portal mixtense independente, impulsionado pela torcida. Encontrou algum erro, tem sugestão de matéria? Envie para nós: mixto@mixtonet.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: identifique-se, comentários anônimos serão excluídos!