sexta-feira, 20 de maio de 2022

Jornal A Gazeta dedica editorial em homenagem ao Mixto 88 anos

1


* * *

Editorial

 Irremovível paixão


Todo amor é eterno. E se acaba, não era amor.” A frase é do jornalista, escritor, romancista, teatrólogo e cronista esportivo, Nelson Rodrigues, irmão de ninguém menos que Mário Filho, que deu nome ao Maracanã. Em suas inesquecíveis crônicas cariocas, o jornalista pernambucano narrou como poucos o cotidiano do futebol. Torcedor do Fluminense, observava todos os rivais também, e o comportamento dos craques da época; e entre as suas frases que entraram para a história, algumas parecem estar presentes nos momentos atuais em muitos clubes: “O imponderável entrou em campo”, ou “Tudo acontece com o Botafogo”.


Neste 20 de maio de 2022 o Mixto Esporte Clube completa 88 anos de história, numa das mais belas páginas escritas nos anais do futebol brasileiro. Foram 24 títulos estaduais e inúmeros craques que marcaram época e levaram milhares de fãs aos estádios do Comércio (hoje do Liceu Cuiabano), Dutrinha e o extinto Verdão - que sucumbiu em nome das elitizadas arenas padrão Copa do Mundo.


Quase um século depois o clube que chegou a ser ridicularizado, por ser rebaixado para uma segunda divisão, renasce movido com a força de uma apaixonada e fiel torcida, numa irremovível paixão. Para celebrar a data, os filhos do professor Ranulpho Paes de Barros - fundador e ex-presidente do clube -, lançarão nesta manhã a primeira fase do Centro de Formação Ranulpho Paes de Barros -, um CT para a revelação de futuros talentos e espaço de preparação dos atletas profissionais. Sem dúvida serão momentos de grande emoção, principalmente para Antero, Luiz Carlos e José Luiz. Os filhos de Ranulpho nasceram com a paixão alvinegra, mas não viram o pai realizar o sonho, só agora concretizado, tantos anos depois.


O futebol é paixão, rivalidade, angústia e felicidade, mas também é profissionalismo e visão; assim, ao abrir os portões no Pedra 90 para os garotos que sonham com um futuro melhor, os Paes de Barros e o Mixto estarão também resgatando a memória e a tradição de um verdadeiro clube popular, que aliás nasceu Mixto com ‘X’, exatamente por congregar homens e mulheres num mesmo esporte, e se nasceu do vôlei, porque não resgatar essa história com o investimento no esporte olímpico também?


Vida longa ao Tigre, que com o peso de sua camisa salvou a competição, antes renegada pelos próprios dirigentes, e trouxe a alegria e o sorriso no rosto do torcedor de volta. Lugar de mixtense é no Dutra.


* * *


Fonte: Jornal A Gazeta

Author Image
Publicado por: MixtoNet

O MixtoNet é um portal mixtense independente, impulsionado pela torcida. Encontrou algum erro, tem sugestão de matéria? Envie para nós: mixto@mixtonet.com

Um comentário:

  1. Uma amiga lá do Jardim Imperial tá dizendo que adorou o "papo de peru prateado" na divulgação do face. Papo de peru? kkk

    ResponderExcluir