A EMOCIONANTE HISTÓRIA DO MIXTO SPORT CLUB

19
 No coração do Centro-Oeste
nasce uma paixão em Preto e Branco 

Em plena Cuiabá da década de 1930, no Centro Geodésico da América do Sul, nascia o clube que tempos depois se tornaria o 'Mais Querido de Mato Grosso', símbolo esportivo e cultural da 'cuiabania'.

A história do Mixto Esporte Clube se confunde com a história de Cuiabá no século passado, sendo parte dos tradicionais festejos populares. O Mixto se tornou o orgulho dos cuiabanos, levando o nome da cidade por vários cantos do Brasil até agora. Fortificou-se como o clube das massas, do sotaque, da culinária, das crenças e do modo de vida do cuiabano.

 Uma História Emocionante 

Dia
20 de maio de 1934, na Rua Sete de Setembro, no centro de Cuiabá, quase em frente à Igreja Senhor dos Passos, mais especificamente na antiga Livraria Pepe (um casarão construído em estilo colonial e tombado pelo Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural do Estado de Mato Grosso) é fundado o ‘Mixto Sport Club’ (assim era a grafia original do clube).

Reunidos neste casarão, Ranulfo Paes de Barros, Maria Malhado, Gastão de Matos, Naly Hugueney de Siqueira, Avelino Hugueney de Siqueira (Maninho) e Zulmira D'Andrade Canavarros decidiram fundar um clube esportivo. No entanto, estavam determinados que este fosse diferente: um clube que reunisse homens e mulheres para o entretenimento cultural e esportivo, algo incomum para a época, na qual as agremiações esportivas eram majoritariamente para homens.


 As Raízes do clube 

Dois outros clubes influenciaram na criação do Mixto E.C., o Clube Esportivo Feminino (dedicado a discussões e saraus sobre a literatura mato-grossense, brasileira e europeia e também ao desporto) e o Clube Esporte Pelote (liderado por Nali Hugueney e também por Zulmira Canavarros).

O Pelote era uma equipe de vôleibol feminino que funcionava em uma quadra de esportes no bairro da Boa Morte, próximo à antiga sede do Mixto, entre as ruas Cândido Mariano e Campo Grande. Ao final dos jogos de vôlei, eram realizados no mesmo local bailes tradicionais, que continuaram como tradição na vida do clube alvinegro.

Já o Clube Esportivo Feminino foi fundado em 1928 pela professora Zulmira Canavarros, que, liderando um grupo de moças cuiabanas, criou uma agremiação para recreação esportiva e cultural. Após a fundação do Mixto, ambos se separaram em suas trajetórias, tornando assim o Mixto um clube centrado no esporte e o Clube feminino no lazer cultural. O Clube Feminino possui sua sede na Rua Barão de Melgaço, esquina com a rua Campo Grande, próximo à antiga sede do Mixto, num casarão tombado pelo Patrimônio Histórico de MT.

Nas origens do Mixto uma mescla de cultura, tradições regionais e esportes praticados por homens e mulheres. Assim começa o legado do Mais Querido.

 A origem do nome e as cores 

Decididos pela criação do novo clube, Zulmira, Ranulfo de Barros e companhia, debruçaram-se a escolher um nome e as cores para o clube. Várias opções de nomes surgiram, mas o consenso era o nome MIXTO. Essa palavra tem o significado de mistura de coisas diferentes ou opostas. O nome representava perfeitamente a ideologia do novo clube, formado sem preconceitos, por mulheres e homens.


Segundo a grafia atual da língua portuguesa, o vocábulo “misto” deve ser escrito com "S". No entanto, o uso da letra "X" no lugar do "S" se deve ao fato de que na época da criação do clube a palavra era grafada dessa forma. Os tempos mudaram, houve reformas ortográficas na língua portuguesa alterando a grafia de diversas palavras, inclusive dessa, mas preservou-se a grafia original do nome, alterando com o tempo o restante da nomenclatura: de 'Sport Club', para 'Esporte Clube'.

As cores do Mixto não podia ser outra senão o preto e branco. Duas cores opostas, mas ao mesmo tempo, essenciais. Branco e preto, homens e mulheres, assim nasce as cores do alvinegro mais querido do Centro-Oeste.

 A Construção da Sede Mixtense 

O Patrimônio Mixtense era a prioridade dos fundadores e de seus recém-associados, que crescia rapidamente e, assim, levantaram recursos que foram investidos na construção de uma sede física e de espaços recreativos e esportivos.

O trecho abaixo foi retirado do livro Egéria Cuiabana, de Benedito Pedro Dorileo (1976), e narra este fato:

"A Sede própria passa a ser logo a primeira preocupação e no mesmo ano é adquirido de João Batista de Oliveira, Batinga, o imóvel da Rua Cândido Mariano, com recursos provindos dos primeiros associados. Uma área, com pequeno alojamento, cercada por um muro, tinha ingresso por um portão, que ostentava ao lado o emblema criado por Zulmira; seria o símbolo bordado nas jaquetas e na bandeira do Clube. A identificação geográfica estava definida (...). O entusiasmo já era intenso com poucos dias de existência do Clube, que nascia forte. A 18 de setembro do mesmo ano (1934) inaugurava solenemente a quadra de esporte, com palavras da 1ª Oradora Maria Alderett”.

 Discurso de inauguração
da Sede Mixtense 
"Meus Senhores,

Escolhida, embora imerecidamente para o honroso cargo de oradora do Mixto Sport Club, eis-me escalada para esta delicada missão de dizer-vos algumas palavras no momento em que a bandeira alvi-negra se desfralda galhardamente.

Inaugura o nosso Club o seu campo desportivo, marco decisivo de sua vida brilhante e auspiciosa, que ora se abre à frente de nosso grêmio.

O prestígio de que goza o Mixto Sport Club no nosso meio está significativamente testificado pela presença a esta festa dos elementos dos mais representativos da sociedade cuiabana.

O desenvolvimento da cultura physica é um índice de progresso e de aperfeiçoamento das raças e dos povos e é com satisfação que assignalamos em nosso meio êste phenômeno promissor.

Em nome do Mixto Esporte Clube eu vos agradeço a honra da Vossa presença a êste acto e encerro esta ligeira oração com os votos a Deus para que propicie à nossa agremiação longa vida, cheia de prosperidade e de graças, para o bem de nossa terra natal e progresso cada vez maior do Brasil".

Discurso de Maria Alderett (primeira oradora do Mixto), publicado no Livro Egéria Cuiabana - de Benedito Pedro Dorileo - Ed. 1976

 O Mixto 'Sporte Club' agora se apresenta
com um dos mais belos hinos do Brasil 

Com o auxílio do piano, Zulmira Canavarros compôs o hino oficial do Mixto, com assistência do Acadêmico Ulisses Cuiabano:
***
O Mixto Sport Club
Agora se apresenta.
E pelo branco e negro,
As cores que ostenta
No seu pavilhão.

Seremos sempre unidos
E sempre destemidos.
Havemos de lutar
E também trabalhar
De todo coração.

Hurra! Hurra!

O Mixto Sport Club
Será o lema
Desta nossa sociedade.
A união e também a lealdade.

Debaixo do nosso céu de anil,
Tremula altaneira
Nossa gentil bandeira.
E pelo sport, em nossa Cuyabá,
Teremos por fanal,
Luctar, luctar, luctar
Por nosso ideal.



 Quem foi Zulmira Canavarros 

Era exímia musicista e também escrevia peças de teatro. Projetou-se numa época em que a mulher não tinha muita chance de mostrar o seu valor.

Zulmira está entre as mulheres mais marcantes da história da cultura cuiabana, umas das fundadoras do Mixto Esporte Clube, e criadora da obra de arte que é o hino do clube alvinegro, ela dirigiu 18 peças entre elas “Branca de Neve” em Cuiabá e “Cala a boca Etelvina” (os arquivos estão localizados no Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso).

"A considero como um esteio das manifestações culturais do século 20”, relata Adriana Nascimento, que estudou sobre Zulmira. Um dos trabalhos de Zulmira que mais chama a atenção é a peça "A noiva e a égua”, em que a artista mostra em sua visão como eram “noivas”, criadas para serem submissas e as mulheres “égua”, que eram as rebeldes na época. Personalidades que, segundo Viviane, Canavarros sabia dosar muito bem. Todo o trabalho pode ser conferido na Biblioteca Central da UFMT.

Zulmira Canavarros é uma personagem que realmente merece a redescoberta de sua obra. Como musicista nos tempos do cinema mudo, ela atuava como pianista do Cine Parisiense. Compunha músicas e hinos para solenidades numa época em que a mulher tinha pouco destaque no cenário artístico nacional. Marcou a história de Mato Grosso onde, com Dunga Rodrigues, começou a desenvolver o rasqueado no piano solo. Zulmira ainda foi a fundadora do primeiro clube feminino (1928), depois o Mixto Esporte Clube e a rádio A Voz do Oeste.


Fonte: Fábio Ramirez/MixtoNet — c
om informações de 
Benedito Pedro Dorileo e Adriana Nascimento/Diário de Cuiabá

19 comentários:

  1. Andrelino. Como a história nos conta, O MIXTÃO já nasceu grande,parabens Dona Zulmira Canavarros, Sr. Ranufo Paes de Barros e outros e outras. O MIXTÃO foi, é, e sempre será simbolo e patrimônio de Cuiabá e dos verdadeiros Cuiabanos natos ou paus rodados que honram esta cidade.

    ResponderExcluir
  2. Parabens Boca Suja, lendo essas informações postadas no site,ficamos ainda mais apaixonados pelo mixtão. como q se isso fosse possivel, um abraço a todos os mixtensses.

    ResponderExcluir
  3. Estou fazendo um trabalho de marketing e pesquisando times locais fiquei apaixonada pelo mixto , sou pau rodado ,mas me cosidero cuiabana . parabens mixtão.

    ResponderExcluir
  4. como podem ver é a historia mais bonita de todos os clubes de futebol do brasil, clube que nasceu com cultura, respeito a mulher e determinação de ser um vencedor!

    parabens meu Mixtão você é o orgulho de Cuiabá e ainda vamos conquistar muitas glórias. VALEU MIXTO DO MEU CORAÇÃO!

    ResponderExcluir
  5. parabens mixto voce é o maior e vamos ser campeao da serie d com certeza. Unico problema é que ate agora nao esclareceram porque foi vendida e depois demolida a nossa sede na getulio vargas, pra onde foi o dinheiro? alguem tem que pagar por isso, quem??

    ResponderExcluir
  6. Parabens Mixto,e a todos nos torcedores deste maravilhoso representante da cultura esportiva cuiabana.O futuro demonstrará nosso valor sempre

    ResponderExcluir
  7. Por isso tenho orgulho de ser cuiabana e mixtense nos mulheres não iremos deixar que acabe nunca isso vamos continuar p/ frente junto com a boca e junto com o mixtão...
    'CONTRA TUDO E CONTRA TODOS VAMOS MIXTÃO A BOCA ESTÁ COM CONTIGO AONDE VC FOR..."

    ResponderExcluir
  8. O Núcleo Feminino da Torcida Boca Suja saúda a memorável mixtense-histórica Zulmira Canavarros. Temos orgulho de fazer parte de um grupo em que se torce para um time fundado tbm por mulheres (sendo q futebol na época futebol era só p homens). A fundação do Mixto é revolucionária!

    ResponderExcluir
  9. Ai pow mixtao tao grande pow ja ta na hora de fazer O Sócio mixto ne pessoal

    ResponderExcluir
  10. Ao conhecer as origens do Mixto, confesso, me emocionei profundamente. Em um momento histórico em que a maioria da populãção era formada por homens eis que uma mulher aguerrida articula a criação de uma agremiação que se eterniza - MIXTO SERÁ ETERNO - Nós, mixtenses apaixonados,que nunca desistimos, somos a personificação de nossa mestra Zumira Canavarros! Sua valentia foi incorporada nas gerações que a sucederam e continuará encarnando nas próximas gerações para que o Mixto seja sempre grande, forte, unido e ETERNAMENTE NOSSO ORGULHO E PAIXÃO!!!!

    ResponderExcluir
  11. Adorei a historia do Mixto, mas ha muito mais, gostaria de sugerir q vcs entrevistassem um ex jogador, ele foi treinador, técnico e a esposa foi presidente de torcida organizada, ganahndo premios, ele é uma memoria viva do futebol matogrossense, o senhor João Bosco De Lamonica, vc tera muitas noticias e historia pra colocar no seu blog.. Obrigada.. Miriam De Lamonica Aires..Fort. Ce

    ResponderExcluir
  12. Ola Fui rainha do Carnaval do Mixto Esporte Clube por muitos anos, tenho fotos com Professor Ranulfo, época muito maravilhosa, Mixto sempre nos dando alegrias, pena nao ter mais um Clube na cidade..Miriam De Lamonica

    ResponderExcluir
  13. A torcida do Mixto precisa voltar aos estádios. Na década de 70 ela lotava o verdão. As carreatas antes dos jogos impressionavam a cidade. Todos precisam resgatar esse orgulho de ser mixtense. Vamos seguir o exemplo da "boca suja", "comando zero" e outras.

    ResponderExcluir
  14. Fui aluno do Prof. de português, Ranulfo Paes de Barros, em 1971 no Liceu Cuiabano. Nessa época, o Mixto treinava no campo da referida escola. O prof. Ranulfo ficava impaciente e, de vez em quando, dava uma olhadinha pela janela. Mas, no intervalo, ele descia correndo para ver o treino. Eu, que já era mixtense, o acompanhava. Esse sim, era um grande homem e um grande torcedor.

    ResponderExcluir
  15. São 78 anos de glórias, mas precisamos de um ano, este ano de 2012, de glória ao máximo. Precisamos subir para a Série C. Temos passado, mas o mais importante é: TEMOS FUTURO, mas precisamos contruí-lo com seriedade, profissionalismo e parcerias inteligentes. Paixão e loucura é que não falta.

    ResponderExcluir
  16. Parabenizo o glorioso Mixto Esporte Clube, pelo aniversário de 78 anos. Eu acompanhei momentos incriveis do esquadrão alvinegro da década de 80, que fez acesso para a elite do futebol brasileiro em 1985. A esquadra alvinegra, atropelava os adversários, seja no verdão, ou em qualquer estádio do norte , e nordeste. O Mixto venceu o CSA em Maceió, o Segipe em Aracajú, O Flamengo do PI em Teresina, o Nacional em Manaus, o Sport do Recife no Verdão, e detonou o Remo por 3a1 no verdão tambem. Ronaldo, Clóves, Dede,Ramiro e Vicente,Cláudio Barbosa,Humberto, Marcinho, Ademar,Sérgio Luis, Goncalves, Gílson Bonfim,Geraldão, Rodrigues,Ivanildo, Luizinho, essas eram as feras que levaram o alvinegro cuiabano ao acesso em um grupo com 12 equipes, sendo elas:Sport Pe, Sampaio Correia,Ceará,Csa,Abc,Botafogo Pb,Sergipe,Flamengo Pi,Nacional Am, Paysandú Pa, Clube do Remo, e Mixto.Neste grupo 4 equipes conquistaram o acesso, Sport,Ceará,Mixto e Csa.Parabéns aos verdadeiros mixtenses, aqueles que com sol, ou com chuva, está sempre ao lado do Tigre.

    ResponderExcluir
  17. O Mixto continua sendo orgulho para muitos cuiabanos e a sua história precisa ser continuada, concordo com a Miriam Delamonica. Há poucos dias faleceu a Sra. Elza Fontes, uma aguerrida torcedora que ao lado do lafecido Lourival Fontes não mediu esforços para levar o time a campeão depois de longo tempo. Essas pessoas contribuíram com o seu amor para elevar o nome desse importante Clube da sociedade cuiabana. Elô Fontes.

    ResponderExcluir
  18. MIXTENSES, DESCULPEM A IGNORÂNCIA DO TORCEDOR DO VITÓRIA LÁ EM CIMA, POIS ISTO NÃO NOS REPRESENTA. OS BAIANOS SÃO MUUUIITO MAIS QUE ISTO E SAÚDAM A HISTÓRIA DO MIXTO ESPORTE CLUBE, TÃO TRADICIONAL QUANTO O NOSSO TRICOLOR BAIANO. DÁ-LHE BAHIA E MIXTO, BAMOR E BOCA SUJA

    ResponderExcluir
  19. O Mixto tem a história mais bonita do Brasil!
    Clube de mulheres e homens

    ResponderExcluir