Com técnico e jogadores "acertados”, Mixto vive drama em busca de recursos


Maior torcida, mais títulos, marca do futebol regional mais conhecida no Brasil… Qualidades que o Mixto acumula na mesma proporção dos problemas. Dívidas, falta de estrutura, credibilidade abalada e inexistência de recursos ou fonte para obtê-los. Com pouco tempo para se preparar com vistas ao Campeonato Mato-grossense o Alvinegro vive um drama na busca por soluções financeiras.

Com técnico já contratado e “vários jogadores acertados”, a diretoria recém-eleita está “atirando praticamente para todos os lados”, mas a resposta de empresas, empresários e até de muitos torcedores tem sido negativa. “Ninguém quer apoiar financeiramente, a credibilidade e a confiança estão muito abaladas”, disse um diretor do clube na manhã desta quarta-feira, preferindo o anonimato “para não tumultuar”.

Segundo ele, até o ex-presidente Júlio Pinheiro, que detém forte oposição dentro do Conselho Deliberativo, foi procurado. “Mas disse que no momento não vai apoiar, não mostrou interesse”, afirmou o dirigente. “Não se trata de criar pânico ou polêmica. A situação é muito difícil. Estamos conversando com os jogadores, acertando a vinda deles, mas só poderemos fechar oficialmente quando tivermos uma garantia financeira, o que não existe até agora”, completou.

Além de atletas, o clube pensa também em reforçar o seu departamento de futebol e, para isso, foi contatado José Alzir Flor, ex-diretor de base do Grêmio-RS, que hoje está no 3 de Febrero, do Paraguai, onde estava o técnico Márcio Marolla. Alzir ficou de passar uma proposta salarial, mas sua vinda também depende de recursos. Questão que está colocando em risco também a utilização do CT do Gaúcho para os treinamentos em 2015. O ex-jogador Gaúcho, dono do CT, exige pagamento adiantado e um fiador.

Enquanto isso, segue a venda de números para a rifa de uma moto.

Craques do Rádio - Dionísio Dinarte / Rádio CBN Cuiabá (AM 590)