Técnico vê evolução no time, critica horário do jogo e pede que federação cumpra o regulamento


O treinador do Mixto, Marcio Marolla, acumulou sua segunda derrota no comando da equipe. O revés para Poconé, por 2 a 1, nesta quarta-feira, deixou o Tigre na lanterna do grupo A, com nenhum ponto. Para ele, o horário da partida (16h) foi um dos principais empecilhos, já que sem o horário de verão a partida começou como se fosse às 15h. 

- O calor estava muito grande. É desumano. Eu vejo o pessoal da federação dizer que quer ver a melhora do futebol estadual mas coloca uma partida profissional nesse horário. No fim, os dois times estavam muito cansados, jogadores exaustos - disse Marolla à Rádio Industrial. 

O estádio Neco Falcão não possui iluminação, o que obriga as partidas serem disputadas neste horário. Ele aproveitou para cutucar a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), quanto aos atletas do União e Sinop que atuaram supostamente de forma irregular. O Mixto protocolou um ofício nesta terça-feira pedindo a perda de pontos do Galo do Norte. 

- Se ela cumprir o que está no regulamento tem times que irão perder pontos. Vamos aguardar e ver se o discurso será esse. 

Sem poder contar com oito jogadores na estreia (derrota para o Operário por 3 a 0), o Mixto conseguiu regularizar mais três nesta quarta-feira: os atacantes Luisão e Washington Júnior e o lateral-esquerdo Odair. A tendência é que na próxima rodada, o restante esteja à disposição.

- Nosso time evoluiu, mas o problema é que os atletas foram regularizados somente hoje. Não deu nem pra treinar. Tivemos falha do goleiro também, é um jovem. Se meus dois goleiros estiveram liberados para domingo, será diferente. Vamos melhorar ainda mais. O campeonato está em aberto. 
Na próxima rodada, o Mixto recebe o Sinop, às 16h, na Arena Pantanal, pela terceira rodada do Campeonato Mato-grossense. 

Globo Esporte - Foto: Arley Carlos/ATAM
04/02/2015