Candidato derrotado por Walter diz que projeto da diretoria era fantasioso, que rebaixamento poderia ter acontecido antes e que grupo dirigente fecha espaços para pessoas novas

0
Cristino Batista*

Opinião: O mais querido e mais tradicional time profissional no futebol mato-grossense, agoniza à beira da morte

Cristino Batista, quanto apresentou um projeto de reestruturação do Mixto em 2016

Isso mesmo, o Mixto Esporte Clube, o Tigre da Vargas, o Alvinegro da Cândido Mariano, caiu no dia 15/03/2020 para a segunda divisão do campeonato mato-grossense, um campeonato a muito tempo fraco, sem público e sem expressão alguma.

Mas, não adianta reclamar que a FMF não ajuda, que o campeonato é fraco. O que acontece desde 2012 é a péssima gestão do Mixto. O que foi decretado ontem, já era para ter acontecido desde 2014. O time do Mixto, de lá pra cá, vem sempre se arrastando, se segurando no tapetão. Se não fosse por erros de outros times, já teria caído a mais tempo.

Devem estar perguntando: e onde você, estava onde que não veio ajudar o Mixto. Eu e mais seis pessoas, conselheiros, estivemos juntos tentando arrumar a casa do Mixto. Mas, como muitos, fomos vencidos pelo cansaço, pela discórdia e pela falta de espaço dentro do clube. Há muito tempo tem um grupo dentro do Mixto que se acham os 'sabe tudo', mas, de futebol profissional não sabem nada. Não adianta ficar cobrando de conselheiros mensalidades de R$ 100,00, R$ 200,00 e sucessivas “cotinhas” para manter um time profissional.

Em 11/2016 colocamos nossas caras e concorremos a eleição da Diretoria Executiva do Mixto, saímos perdedores por 05 (cinco) votos (Clique aqui e relembre). Os conselheiros não acreditaram que nosso projeto reestruturaria o Mixto. Era um grupo de 07 (sete) conselheiros amantes do Mixto, mixtenses de alma e coração, que só queriam o bem para o Mais Querido.

Agora, eu pergunto: onde está os conselheiros que ajudaram a chapa do Walter a nos vencer? Cadê Antero Paes de Barros, José Luiz Paes de Barros, Dr. Gerulino, Ruítier, Mario Candia, Paulo Cesar Gatão, Rosenil Luiz, Marco Prado, Arley Carlos e outros que votaram na chapa do Walter. Esses conselheiros que votaram no Walter tinham a obrigação de estar junto com ele para reestruturar o time, mas nem sequer nas reuniões apareciam.

A verdade é uma só: os conselheiros que votaram contra nós, só não nos queriam lá simplesmente por birra. Igual a crianças mimadas, têm o Mixto como seu brinquedinho novo. Não nos deram chance para tentar essa reestruturação.

Eleitos na disputa mais apertada da história do Mixto: Ademar Vilarindo - presidente do Conselho Deliberativo e Walter Fernandes - presidente do Mixto EC. A chapa derrotou a oposição que apresentava um projeto de reestruturação do clube (Foto Olhar Esportivo)

O Walter, na época, apresentou um projeto fantasioso (para não dizer mentiroso). Dizia que tinha contato com empresas de energia da China para patrocinar o Mixto. Onde está esse patrocínio, que nunca apareceu, nem sequer conversaram com essas empresas.

O MIXTO ESPORTE CLUBE não precisa de ajuda, precisa de organização e patrocínios. E, digo mais, se não tiver o mínimo de organização ano que vem para a disputa da segunda divisão, não vai subir. Podem escrever o que estou dizendo, se achar que vão entrar e classificar, vai ficar mais um ano na segundona.

Quero parabenizar o Sgto Joelson, Dr. Vinicius e Márcio Alencar pela luta e dedicação ao clube, e dizer que não se contaminem e se possível mantenham-se fiéis ao Mixto Esporte Clube.

*Cristino Batista é ex presidente do Conselho Deliberativo do Mixto e candidato derrotado à Presidência do Mixto em 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário