sábado, 17 de julho de 2010

Goleira do Mixto e da Seleção dá entrevista para portal nacional de educação

2
Goleira Aline no mundial da Alemanhã
O Portal da Educação Adventista fez uma entrevista com Aline Bossa, goleira da seleção Sub-20 de futebol. A arqueira de 18 anos, que defende o Mixto Esporte Clube de Cuiabá, concedeu a entrevista especial de Bielefeld, na Alemanha, onde acontece a Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-20.

No tetracampeonato do Sul-Americano Sub-20, realizado em março deste ano, Aline foi eleita a goleira menos vazada. Uma das dicas da titular da seleção brasileira é: “Nunca deixem de sonhar!”

A Seleção jogou na manhã dessa sexta contra a Suécia e amargou um fraco empate em 1x1 ficando numa situação muito complicada no Mundial da Alemanhã, pois já havia perdido para a Coréia do Norte por 1x0.

Leia a entrevista completa:

***

Aline Bossa: “Nunca deixem de sonhar!”

Desde o dia 13 de julho está sendo realizada na Alemanha a Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-20. O evento, organizado pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), conta com 16 seleções, que competirão nas cidades de Augsburg, Bochum e Dresden. O jogo final será em Bielefeld, dia 1o de agosto. Entre as jogadoras que integram a Seleção Brasileira está a goleira titular Aline Camila Bossa, 18 anos, do Mixto Esporte Clube de Cuiabá.

No tetracampeonato do Sul-Americano Sub-20, realizado em março deste ano, Aline foi eleita a goleira menos vazada. Ex-aluna do Colégio Adventista de Sinop, Mato Grosso, a esportista sempre demonstrou interesse pelo futebol. “Na quadra do colégio, nas aulas de educação física, ainda jogando na linha, fazia a diferença, driblando todos os meninos”, lembra Henilson Erthal, professor e diretor da escola na época em que Aline lá estudava.

Logo oficial do Mundial da Alemanhã
Na época em que era estudante, a atleta já sonhava em ser uma jogadora profissional. Considerada pelos professores uma aluna participativa, além dos esportes Aline também gostava de artes. Ela integrou o coral em Libras da escola, o qual fez uma visita, em 2003, ao presidente Lula, no Palácio do Planalto.

De acordo com o professor Henilson Erthal, a atenção da família foi fundamental para o desenvolvimento da então futura atleta. “Ela sempre recebeu muito apoio de seus pais nas atividades da escola, o que sem dúvida contribuiu para torná-la um diferencial no esporte.

- Como é ser integrante da Seleção, e qual foi sua trajetória no time?
Aline: Eu não fui uma aluna ou uma atleta muito disciplinada. Com o tempo, na Seleção, eu aprendi a ter mais disciplina, respeito e agir com paciência. São várias meninas, cada uma com sua personalidade. Fazer parte de uma Seleção Brasileira é a realização de um sonho, e tenho que seguir as regras, manter o respeito e conviver da melhor maneira possível. Estou na Seleção Brasileira desde 2007. Comecei na Sub-17, agora estou na Sub-20. Durante todo esse tempo, participei de dois campeonatos sul-americanos. O Sub-17 no Chile e o sub-20 na Colômbia. Esta é a minha segunda Copa do Mundo: a primeira foi na Nova Zelândia e agora, com a Sub-20, aqui na Alemanha.

- Em sua opinião, por que o futebol feminino ainda tem pouco destaque?
Aline: O futebol feminino não tem destaque pelo simples fato de o futebol masculino ser o centro das atenções, “o” esporte do brasileiro. Muitas vezes falta espaço e incentivo para as meninas que jogam futebol.

- Em março deste ano, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino conquistou o tetracampeonato no Sul-Americano Sub-20. Você foi a goleira menos vazada do campeonato com apenas três gols sofridos. A que atribui esse mérito?
Aline: Atribuo aos intensos treinamentos, pois nada vem de graça, nada é de “mão beijada”. A gente aprende com os erros e com os inúmeros treinos.

- Como a Educação contribuiu para sua formação? Qual o diferencial?
Aline: Bom, certamente o diferencial é a qualidade do ensino que tive, hoje eu vejo a diferença. A Educação Adventista trabalha a personalidade do aluno, prepara-o para realizar seus sonhos fora da sala de aula. Hoje eu sinto saudades da escola, dos amigos e dos professores.

- Que mensagem você deixa aos meninos e meninas que amam o esporte?
Aline: Nunca deixe de sonhar, porque o sonho é o começo de tudo. E também nunca desista, mesmo sabendo das dificuldades: não são as maiores “pedras” que aparecem na nossa vida que nos derrubam, e sim as pequenas. Aja com calma, mas sempre sonhando, sem perder o foco, buscando conquistar o que se deseja. Quando você estiver cansado e num momento de desânimo pensar: “Não dá mais, eu não consigo!”, levante a cabeça e siga em frente, pois tudo tem seu tempo, o tempo de Deus. Acredite nele e tenha fé. É assim que superamos os maiores obstáculos da vida.

Seleção Brasileira Sub-20 no mundial da Alemanhã
à direta de verde a goleira mixtense Aline
Fonte: Olivandro Maia e Henilson Erthal - Portal Educação Adventista
16/07/2010
Author Image
Publicado por: Fábio Ramirez

O MixtoNet é um portal mixtense independente, impulsionado pela torcida. Encontrou algum erro, tem sugestão de matéria? Envie para nós: mixto@mixtonet.com

2 comentários:

Atenção: identifique-se, comentários anônimos serão excluídos!