quinta-feira, 22 de julho de 2010

Robélia Menezes (diretora administrativa do Mixto) é a 1º cartola mulher de MT

8
A economista Robélia Menezes,
diretora administrativa e financeira,
no escritório do Mixto: gestão profissional
A bela é uma fera

"Por trás de um grande homem sempre há uma grande mulher". Esqueça essa velha frase machista; no Mixto Esporte Clube, gerido pela Associação dos Amantes do Futebol de Mato Grosso e Amigos do Mixto (Afam), quem manda é uma mulher, e como dizem os torcedores, com todo o respeito: um "mulherão". Robélia Menezes (34) - contratada em fevereiro desse ano como diretora administrativa e financeira do clube - é economista, com especialização em gestão de negócios pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e graduanda em direito, tem 1,77m, loira, solteira e ambiciosa. "Vim para fazer um trabalho por tempo determinado, seria até o final desta temporada, dezembro, mas quero concluir o meu curso e seguir minha carreira", afirma a primeira "cartola" mulher do futebol de Mato Grosso.

Antes de assumir o cargo de confiança no Mixto, Robélia Menezes foi assessora da procuradoria do município, trabalhou na secretaria de finanças da prefeitura de Cuiabá e no Plano de Metas do Governo Dante de Oliveira.

"Eu já tinha pedido para sair da procuradoria e tinha dois convites para trabalhar em escritórios de advocacia, quando a Afam me convidou, através do Vivaldo Lopes, com quem trabalhei 8 anos. Aceitei com o propósito de implementar ferramentas de gestão moderna e organizar a parte burocrática do clube. Já existia algo e eu vim para somar, eu sou dinâmica", disse a diretora.

A agenda de Robélia não é fácil. Despacha todas as manhãs, desde ás 7h30 no escritório do clube, que funciona numa sala num edifício comercial da avenida do CPA. Nos dias de jogos, é comum vê-la nos estádio, cuidando da bilheteria. "Não há como eu não ir ao campo. Faço a gestão financeira. A obra de irrigação do Dutrinha, acompanhei de perto. Fui olhar o resultado do investimento que estamos fazendo. Não há como fazer um bom trabalho sem conhecer o produto final. Conheço todo o funcionamento do clube", disse.

Robélia só não arrisca dar pitacos na parte técnica, no rendimento do time em campo. "Pelo meu pequeno conhecimento de futebol, prefiro me abster de tecer qualquer comentário. Sou corintiana, gosto de assistir e tinha uma simpatia com o Mixto e me tornei mixtense. Estou aprendendo muito".

Fonte: Oliveira Junior - Foto: Marcus Vaillant

Não sou mão de ferro, garante diretora

Empolgada com a nova função, a diretora do Mixto Esporte Clube, Robélia Menezes, vê no cargo um desafio em sua carreira profissional. "O futebol é muito fascinante, por ser muito dinâmico, impõe um grande desafio, espero fazer um bom trabalho", disse.

Questionada sobre a continuidade de seu trabalho a frente do clube - já que antecipou que sua permanência está prevista apenas até o final desse ano - , Robélia acredita que os insucessos da equipe em campo não influenciem seu trabalho, que é estritamente de bastidores, a parte burocrática.

"O insucesso dentro de campo cria um clima tenso e pode até influenciar, mas no dia seguinte após o empate com o Vila Aurora eu estava aqui trabalhando normalmente. Acho que no meu trabalho não influencia", disse Menezes.

Goiana de Jataí, irmã mais nova de uma família que criou raízes em Mato Grosso, Robélia tem sob seu comando, uma equipe de 5 funcionários subordinados, mas ela faz questão de deixar claro que não toma nenhuma decisão sem consultar o presidente do clube, empresário Márcio Pardal, com quem garante ter um bom relacionamento.

"O relacionamento com o presidente Pardal é ótimo. Eu não o conhecia, não tivemos problema nenhum. Ele conhece bastante de futebol, é do meio, conhece as pessoas e nosso relacionamento é bem tranquilo. Eu mantenho a linha hierárquica, ele é nosso presidente e nossas decisões são compartilhadas", adiantou.

Robélia confessa no entanto que teve algumas surpresas. "Senti até fisicamente essa correria, mas hoje tenho uma rotina mais tranquila", diz. A diretora se disse surpreendida com o espaço que a imprensa dedica ao futebol. "Não tinha noção da importância que a mídia dá ao futebol, da repercussão, me surpreendi", disse.

Robélia também quer desmistificar a idéia de que é uma administradora com "mão de ferro". "Eles brincam no CT, olha cuidado, tem câmera aqui, ela sabe tudo", diz, acrescentando: "não tem nada disso de durona. Trato pessoalmente com todos os credores, prestadores de serviços, do tratamento médico dos atletas, trabalhando mais de 12 horas por dia, inclusive sábado e domingo. Quando posso converso com a comissão técnica e é lógico, vou aos jogos", concluiu.

Fonte: A Gazeta
22/07/2010
Author Image
Publicado por: Fábio Ramirez

O MixtoNet é um portal mixtense independente, impulsionado pela torcida. Encontrou algum erro, tem sugestão de matéria? Envie para nós: mixto@mixtonet.com

8 comentários:

  1. PARABÉNS PELO TRABALHO ROBÉLIA, O MIXTO PRECISA DE MAIS PESSOAS COMO VC. DEDICADA, COMPETENTE E, REALMENTE, UM MULHERÃO. ESPERO VÊ-LA EM DIAS DE JOGOS DO MIXTÃO PESSOALMENTE. UM ABRAÇAO MINHA QUERIDA E MUITO SUCESSO NESSA SUA EMPREITADA

    ResponderExcluir
  2. ela e bonita Pam fala isso não

    ResponderExcluir
  3. Eu tbém tô solteiro!

    ResponderExcluir
  4. Zezinho do Araés22 julho, 2010 15:33

    Deixando nossa testosterona de lado, fica claro que esta é uma matéria paga, com todo respeito ao jornalista que a escreveu. Quem convive com o Mixto há tempos e conhece a política cuiabana, sabe a origem desta senhora. Ela merece toda a nossa consideração e respeito, mas além de não ser do ramo, só está no Tigre, por causa da Afam e de seu "padrinho" vamos deixar assim, Vivaldo. Inclusive esta dona já empregou seu próprio filho no escritório da Afam. Outra dia ela contestou os diretores do nosso Futsal, e disse que futebol não é para mulheres. Vários Mixtenses a informaram sobre a história do Mixto, que ela desconhece totalmente, a informando inclusive que o Mixto tinha várias Mulheres em sua fundação, e inclusive time feminino de vôlei. Tristes dias do alvinegro mais querido do Brasil: ser administrado por alguém que não é do ramo; que só está lá pelo seu "curriculo" vasto e amplo. Realmente o Mixto virou cabide de empregos. Quero ver na hora que a grana ficar curta, quem vai administrar o Tigre. Deixaram a política se alastrar e dominar o clube, de forma inconsequente e interesseira. Nada tenho contra esta senhora e coroa, mas matéria de destaque no jornal de maior circulação esportiva é demais. Custou quanto?

    ResponderExcluir
  5. acho que o que devemos e avaliar no seu trabalho, independente se e mulher, se e feia ou bonita,se esta ali por ser apadrinhada...torço por vc e vc tem que ter coração mixtense, e o que todos queremos.

    ResponderExcluir
  6. Nestas horas que sentimos vergomha de ser HOMEM, pois a galera parece que está a perigo ou nunca viu mulherde verdade, ou seja, filé. Esta mulher além de coroa e rodada, como diz na própria matéria, é ruim de serviço, pois o Mixto tá devendo meu amigo Paulo do Drops gelo, desde o ano passado. Cada um empurra para o outro pagar, mas foram os jogadores do clube que usaram o produto do cara. O que a poderosa coroa tem a dizer? Liga para o Paulo e paga ele gente. Fone: 36251123. O valor é pequeno para o Mixto e grande para ele.

    ResponderExcluir
  7. cristina, quem e adminisradora financeira, deveria ter um livro caixa, para pagar os credores,paga o cara que o mixto deve, isso e uma vergonha para nós mulheres que temos cargo de confiança, e o clube passar por essa situação, tenho cargo de confiança e pago todos os funcionários em dias, sem atraso

    ResponderExcluir

Atenção: identifique-se, comentários anônimos serão excluídos!