sexta-feira, 17 de setembro de 2010

"EU VOU VOLTAR SIM, COM CERTEZA" PATRIC FALOU SOBRE A DESPEDIDA

7
No fim da manhã desta sexta-feira o artilheiro Patric falou à Rádio Cultura de Cuiabá. O ex-atacante mixtense - pediu desligamento do Tigre ontem - agradeceu por várias vezes a torcida e disse que pretende voltar a jogar no mais querido.

Patric elogiou o trabalho do técnico Barbieri creditando a ele a retomada do prestígio do elenco no momento mais difícil do Mixto, quando estava ameaçado de rebaixamento no Estadual deste ano. “Quando eu cheguei no Mixto, no estadual, a nossa equipe não se encontrava bem. Depois da chegada do Barbieri demos a volta, ele passou a confiança aos jogadores”.

O ex-atacante do Tigre disse que até agora não engoliu a desclassificação do Mixto na Série D. “Ainda não caiu a ficha, até agora, que a agente saiu”, afirmando que “o futebol é injusto. Éra uma equipe muito boa, que ia chegar à Série C”. concluiu.

Paric virou ídolo da torcida
Agradeceu o carinho da torcida, “Eu, graças a Deus, em todo o clube que eu vou procuro me dedicar. E eu só tenho que agradecer a essa torcida”. E lembrou do epsódio da especulação sobre sua saída para o Vila Nova. “Quando diziam que eu ia embora, falavam que eu era mercenário, e não era nada disso. Meu objetivo era levar o Mixto para a Série C. Me reuni com a diretoria e disse o que eu queria. Sou um homem de palavra”, afirmou.

Questionado pelo repórter da Rádio Cultura porque ele está saindo do Mixto, Patric respondeu: “Vários fatores. Estou sem clima. Eu tinha o objetivo de subir o Mixto para a Série C. Estou triste”. Informado que “Eu que pedi para ir embora, tenho minha família e quero ficar com eles”.

Patric por várias vezes lembrava da torcida, e novamente disse: “Vou levar o carinho dessa torcida que sempre me apoiou”.

Perguntado se ele já tem um clube avista, o artilheiro respondeu. “Só especulação. Não tem nada concretizado, ainda não me passaram nada", informou. Patric disse que sua possível ida para o Luverdense é pura especulação e nem o empresário dele sabe disso.

Dizendo que caso o projeto do Mixto continue e monte uma nova equipe competitiva, o repórter da RCC perguntou se ele tem vontade de voltar a ser jogador do Mixto, e o artilheiro imediatamente afirmou: “Tenho com certeza, isso aí sem dúvida. Quero deixar bem claro ao torcedor que onde eu passar vou falar do Mixto, falar que tem uma torcida que apóia”. Dizendo que pode voltar ao Mixto se receber o convite para as próximas temporadas. “Onde eu estiver e o clube me procurar, eu vou voltar sim, com certeza”.

Patric elogiou o clube e agradeceu a oportunidade de ser jogador do Mixto. “Eu tenho fé em Deus, onde eu tiver vou mencionar essa entidade que deu apoio a mim. Não foi a toa que fui artilheiro. O Mixto abriu as portas pra mim, eu só tenho a agradecer. Obrigado. Agradeço essa torcida maravilhosa. Um abraço”, e concluiu assim a entrevista.

Fonte: Redação Mixto Net
17/09/2010
Author Image
Publicado por: Fábio Ramirez

O MixtoNet é um portal mixtense independente, impulsionado pela torcida. Encontrou algum erro, tem sugestão de matéria? Envie para nós: mixto@mixtonet.com

7 comentários:

  1. e nós tambem te aradecemos muito pelo seu esforço,você ficar eternizado em nossos corações,,você foi honesto com a gente, você honrrou a camisa do MIXTO,,e o melhor de tudo você se tornou meu amigo,,patric aonde você for a BOCA SUJA estara com você,,boa sorte,,e que você possa sim retornar ao MIXTO fazer ele subir e ser o nosso querido artilheiro,,,vai com DEUS,,MUITAS FELICIDADES você merece

    ResponderExcluir
  2. Patric muito sucesso pra vc cara!!!
    vc se concretizou um idolo para
    todos nos torcedores mixtense
    q ficou triste como vc na
    desclassificaçao de seie d
    faleu Patric matador da
    serie d e vai ser de
    outras tambem
    parabéns....

    ResponderExcluir
  3. ARTILHEIRO LEVA O MIXTO NO CORAÇÃO

    Patrick está de malas prontas. Rescindiu seu contrato por iniciativa própria, diz não ter ainda um destino definido, afirma estar ainda “abalado” com a eliminação na Série D, e garante que vai embora com uma certeza: “levo o Mixto no coração”. Aos 23 anos de idade, o artilheiro balançou a rede 16 vezes em 17 jogos com a camisa do Alvinegro e alcançou o status de ídolo, o que há muitos anos nenhum jogador conseguia com camisa alvinegra.

    Em entrevista ao programa esportivo da Rádio Cultura de Cuiabá nesta sexta-feira, ele fez uma avaliação de sua passagem pelo Tigre lembrando que quando chegou o momento não era nada bom. “O time estava mal, correndo o risco de rebaixamento, mas com o professor Barbieri (Luis Carlos, técnico) conseguimos dar a volta por cima com um bom desempenho”, lembrou.

    Sobre a Série D o jogador fala com inconformismo. “A ficha ainda não caiu. Não entendo bem o que aconteceu. O time não merecia, nosso grupo era de uma qualidade muito boa. Iríamos subir, com certeza”, diz o atacante, resignando-se com o velho chavão: “mas, futebol é assim mesmo, infelizmente. Foi um acidente”.

    Na despedida, Patrick destacou o carinho da torcida do Mixto. “Agradeço muito o apoio, não me arrepende nenhum pouco de ter ficado quando surgiu a proposta do Vila Nova de Goiânia”, assegura, antecipando que “por onde eu for sempre falarei bem do Mixto, dos seus dirigentes e da sua torcida. É um clube que me conquistou”.

    A respeito da saída, justificou o pedido de rescisão alegando que “estou muito abalado com esta eliminação, preciso de um tempo. Vou pra casa (mora no Rio de Janeiro), esfriar a cabeça. Até porque, o Mixto não tem uma competição importante agora para disputar”. Finalizando, garantiu não ter um destino definido. “Não tenho nenhuma proposta oficial, o que estão falando por aqui, de Luverdense e outras equipes, não passa por enquanto de especulação”.

    Fonte: Craques do Rádio

    ResponderExcluir
  4. ARTILHEIRO LEVA O MIXTO NO CORAÇÃO

    Patrick está de malas prontas. Rescindiu seu contrato por iniciativa própria, diz não ter ainda um destino definido, afirma estar ainda “abalado” com a eliminação na Série D, e garante que vai embora com uma certeza: “levo o Mixto no coração”. Aos 23 anos de idade, o artilheiro balançou a rede 16 vezes em 17 jogos com a camisa do Alvinegro e alcançou o status de ídolo, o que há muitos anos nenhum jogador conseguia com camisa alvinegra.

    Em entrevista ao programa esportivo da Rádio Cultura de Cuiabá nesta sexta-feira, ele fez uma avaliação de sua passagem pelo Tigre lembrando que quando chegou o momento não era nada bom. “O time estava mal, correndo o risco de rebaixamento, mas com o professor Barbieri (Luis Carlos, técnico) conseguimos dar a volta por cima com um bom desempenho”, lembrou.

    Sobre a Série D o jogador fala com inconformismo. “A ficha ainda não caiu. Não entendo bem o que aconteceu. O time não merecia, nosso grupo era de uma qualidade muito boa. Iríamos subir, com certeza”, diz o atacante, resignando-se com o velho chavão: “mas, futebol é assim mesmo, infelizmente. Foi um acidente”.

    Na despedida, Patrick destacou o carinho da torcida do Mixto. “Agradeço muito o apoio, não me arrepende nenhum pouco de ter ficado quando surgiu a proposta do Vila Nova de Goiânia”, assegura, antecipando que “por onde eu for sempre falarei bem do Mixto, dos seus dirigentes e da sua torcida. É um clube que me conquistou”.

    A respeito da saída, justificou o pedido de rescisão alegando que “estou muito abalado com esta eliminação, preciso de um tempo. Vou pra casa (mora no Rio de Janeiro), esfriar a cabeça. Até porque, o Mixto não tem uma competição importante agora para disputar”. Finalizando, garantiu não ter um destino definido. “Não tenho nenhuma proposta oficial, o que estão falando por aqui, de Luverdense e outras equipes, não passa por enquanto de especulação”.

    Fonte: Craques do Rádio

    ResponderExcluir
  5. saia de cabeça erguida, pois vc comprovou, não só que não é mercenario, mas provou também ser homem de palavra.
    Continue sendo assim, que vc chega creio eu, ainda esse ano em um time de ponta do brasileirão.
    Vamos ser sinceros, vc tem poucas chances de voltar para o mixto, pois seu lugar é um time de ponta, nem B C OU D, E SIM A!
    Mas se um dia precisar, ou até mesmo não ter se firmado em um time da serie A, pode ter certeza que a nação alvi negra te recebera de braços aberto, pois vc ja é idolo meu amigo!!!
    BOA SORTE E QUE DEUS TE ACOMPANHE!!!

    ResponderExcluir
  6. (jose carlos. coxipo) tenho certeza que ainda vomos ouvir falar de seu nome nos campeonato,eu ademiro que ate o meu enteado quando esta jogando bola com outras crianças ele fala,gol de Patrik,coisa que nunca tinha visto de outro jogador,boa sorte espero que volte para o MIXTO,coisa que sera meio deficil,mas a torcida tera essa esperança,que DEUS te acompanhe.

    ResponderExcluir
  7. Olha ai Mixto e aprende!


    Remo empresta atacante revelação para Atlético-GO
    Heliton foi um dos principais jogadores do time paraense na Série D

    Belém, PA, 17 (AFI) - Depois da eliminação na Série D do Campeonato Brasileiro último domingo diante o Vila Aurora-MT em pleno Mangueirão, o Remo começa a definir o futuro de seus jogadores, principalmente, os formados na base do clube.

    Confira!
    » Vasco terá quatro desfalques para enfrentar o Internacional
    Nesta sexta-feira foi confirmado o empréstimo do atacante Héliton, um dos principais destaques do clube na Série D, para o Atlético-GO. O jogador ficará no time goiano por três meses, com a opção de compra por R$ 800 mil.

    Na última quinta-feira, quem havia sido emprestado foi o zagueiro Raul, que foi para o Sport, da Série B do Brasileirão. A ideia da diretoria remista é fazer com que os jogadores adquiram experiência para que possam ajudar o time azulino no futuro

    "Nós precisamos que eles mantenham o ritmo de jogo, principalmente, o Raul. O negócio foi muito bom tanto para o Remo quanto para os jogadores, que ficaram expostos nos dois campeonatos mais importantes do Brasil", afirmou o vice-presidente de futebol do Remo, Lucival Alencar.

    ResponderExcluir

Atenção: identifique-se, comentários anônimos serão excluídos!